terça-feira, 23 de março de 2010

Gallafest

No final do ano passado Daniel me chamou pra essa tal Gallafest. Eu não tinha muita ideia do que era até que o dia foi chegando e as pessoas começaram a surtar. Era achar um par pra cá, comprar vestido pra lá, tinha gente que planejou o brinco, as pulseiras, os aneis, vestido, sapatos, unhas e até o batom duas semanas antes!
Eu não estava dando tanta importância pra isso, o vestido foi minha host mãe que comprou e minha mãe me mandou as sandálias do Brasil.
No dia da festa minha host mãe resolveu dar chapinha no meu cabelo. Coitada, deu até dó. Ela é toda cuidadosa e pegava cada mechinha pequena por vez...acontece que eu tenho muito cabelo, e quando eu digo muito, é MUITO mesmo! Ela ficou mais de uma hora pra abaixar a minha juba.
O cabelo demorou tanto que fiz uma maquiagem bem mais ou menos e sai correndo de casa.
Chegando na escola fui pro quarto da Maya. No caminho encontrei vários meninos super elegantes indo buscar seus respectivos pares. Eu sabia que meu par não ia de terno e segundo ele mesmo, não compraria uma rosa pra mim, até desanimei hahahah
Mas chegando na Maya, lá estava ele me esperando, não estava de terno, mas sem dúvida era o mais original dalí e aquilo era bem mais a cara dele do que qualquer terno. Pra minha grata surpresa ele me deu uma rosa vermelha linda e fomos de braços dados até a festa.
Daí começou umas breguísses. Todos do segundo ano tinham que entrar com seus pares em filas, dar um "oi" pros professores e ficar em volta da quadra onde os alunos do terceiro ano entrariam pra dançar.
Agora, a dança.....KKKKKKKKKK
Era uma dancinha bem antiga, daquelas da corte que vemos em filmes. Mas imaginem um bando de meninos no ano de 2010 dançando e fazendo aqueles pulinhos velhos. Impagável!!! Eu me divertia com a desenvoltura dos meninos, tentando fazer os pulinhos, trocando pés e rodopiando. Me segurei muito, tirei forças do fundo do meu coração para não cair na gargalhada. Mas em certa hora eles faziam duas filas, iam dando saltinhos atá o centro, faziam cara de desenho animado e gritavam "Oure!", daí foi covardia, disparei a rir. Como metade das pessoas estavam entediadas, depois de 6 danças daquelas, o pessoal se divertiu com minha cara vermelha de tanto rir.
Mais tarde, fotos. Daniel era o fotógrafo e fiquei até o fim para irmos juntos para o outro salão.
No outro salão cada um tinha sua mesa ao lado do par e comemos um jantar delicioso. Entre os pratos o pessoal do terceiro ano fez uns prêmios dos mais batidos, melhor professor, melhor casal, até os mais diferentes do tipo, o mais pedófilo e o mais original. E tinha coisa que só Oure poderia proporcionar como o Hit do ano. E não era musiquinha ruim não, era coisa boa e bem feita, a música que ganhou inclusive todos sabiam cantar.
Teve também o tradicional Rei e Rainha de formatura.
Depois, finalmente, pista de dança! Mas era formatura né? E primeiro começaram a tocar umas músicas dinamarquesas bem antigas que eu não faço ideia do que era. Era algo do tipo: Roberto Carlos, Balão mágico, coisas que só quem nasceu no país conhece, e eu boiei.
Algumas músicas foram boas e pude dançar bastante. Só tem um probleminha aqui, meninas sempre dançam com meninos, não tem muito essa de menina dançar sozinha e se tem uma menina dançando com outra menina sempre tem um garoto pra tirar pra dançar. Eu gosto de dançar com os meninos, mas amo dançar sozinha! Gosto de bater cabelo, dar a louca e ferver sem ninguém me apertando ou rodopiando. Mas foi bom de qualquer jeito.
Dentro desses meninos que dançaram comigo, um deles foi o Daniel. Gente, se vocês conhecessem ele como eu vocês cairiam duros ao vê-lo dançar. Ele simplesmente NUNCA dança, é totalmente contra tudo que ele acredita dançar! hahahah
E ele dançou comigo! E era uma música bem podrinha viu!
Mais tarde me contaram que Benjamin havia comprado uma rosa que ele daria pro Daniel me dar caso ele não comprasse uma, mas Daniel comprou. Achei a coisa mais linda do mundo.
No final da festa todos foram para o café beber mais, eu estava um pó e não aguentava mais meu salto. Fui dormir.

Benjamin

Daniel

Na hora que eles gritavam OURE! hahahahah

As vezes parecia uma quadrilha

Na hora dos prêmios

Dance floor!

quarta-feira, 17 de março de 2010

1.8 na Dinamarca- O final de semana


Meu aniversário não ficou restrito só ao dia 10, lógico que eu tinha que comemorar com minhas amigas intercambistas não é? E elas vieram, mesmo morando longe, mesmo pagando uma nota, mesmo parecendo que o final de semana ia ser uma furada elas vieram!
A Naty chegou na quinta de noite, conheceu minha família e nos divertimos bastante. Na sexta eu não tinha aula e fomos para Odense, lá encontramos com Jel e Maya e mais tarde com nossos newbies e umas meninas da AFS. Newbies são os meninos que chegaram em janeiro e nós somos os oldies deles. Como eu não fui ao encontro do Rotary eu não conhecia ninguém e lá encontrei o Vitor, a Inez, Amanda e Gustavo, todos umas gracinhas.
Ainda na estação Naty e Jel me deram um tanto de presentinhos cheio de significados para meus 18 anos e nossa amizade, lindas lindas.
Mais tarde andamos um pouco por Odense e encontramos com o Guilherme. Eu na verdade nem sei como eu conheci esse menino, acho que um dia ele começou a me seguir aleatoriamente no Twitter e começamos a conversar. Ele saia muito com meus oldies, que eu mal conversava (sim, sou anti-social) e mora em Odense em uma faculdade internacional.
O motivo pelo qual ele estava lá para nos buscar, era que na maior cara de pau nós pedimos para arrumar na casa dele.
O plano era: arrumar na casa do Guilherme, ir para festinha da escola dos newbies e ir para o Australian Bar, mas o papo na casa dele estava bom, tinha um monte de gente diferente e resolvemos ficar por lá mesmo até a hora do bar.
Conversamos e rimos muito, tanto que esquecemos da hora e tive que me arrumar em 2 minutos, saindo de casa a cara da bala que matou John Lennon.
No bar encontrei com Rasmus e Casper da minha escola. Lá também estavam as meninas da AFS e dos Newbies que chegou depois. Conversei muito com os meninos de Oure e dancei muito com Rasmus, ele é muito engraçado.
Tínhamos combinado com minha família de voltar no ônibus das 1:45 pra casa, cedíssimo, mas era outra cidade e eu tinha mais 3 meninas sob minha responsabilidade. Bem antes da hora comecei a catar as meninas, uma em cada canto da boate e fomos pegar as bolsas para sair. Eu não fazia a menor ideia de como chegar na estação de ônibus, muito menos as meninas, por sorte Rasmus foi um anjo e disse que ia encontrar com a namorada por lá e poderia no levar.
Imaginem a cara da menina dele quando viu o namorado com 4 brasileiras no meio da noite! Deu até dó, só me restou dizer "olhe, seu namorado é um anjo".
Finalmente chegamos na estação e para alegria geral da nação conseguimos chegar a tempo...de ver o ônibus saindo! SIM! Perdemos o ônibus da madrugada! O próximo sairia só dali uma hora! Minha família ia me cozinhar viva se eu não chegasse na hora. Resolvi mandar uma mensagem pra eles falando o que estava acontecendo.
Naquele frio, com o risco de perder a confiança da minha família, sabendo que nada disso tinha sido minha culpa e que eu tinha me stressado em vão, eu comecei a ficar muito bavra com as meninas, falando que elas deviam ficar de olho na hora também, que eu não era a única que deveria tomar conta de todo mundo alí. Elas se sentiram mal e resolveram pagar um taxi pra mim. Vale contar que taxi aqui é suuuuuper caro e eu moro em outra cidade! A viagem sairia por umas 800 coroas! Mas elas resolveram pagar mesmo assim e fomos. Já no meio da viagem meu host pai mandou uma mensagem dizendo que não tinha problema algum eu pegar o próximo ônibus. Tarde de mais...
No dia seguinte passamos a maior parte do dia em casa e de noite minha família fez um jantar pra mim. Eles não dominam muito a arte da culinária e não sabem o que é comida brasileira, o que eles conseguiram fazer foi uma carne moída com feijão, arroz, nachos e salada, eu amei!
Depois fomos para escola porque as meninas estavam doidas para conhecer Oure que eu tanto falo. Eu sabia que haveriam pouquíssimas pessoas lá já que a maioria estava em casa e que não seria tão legal, então o combinado era ficar um tempo lá e pegar o ônibus da meia noite para festar na cidade.
De fato a escola estava vazia, haviam apenas algumas pessoas do Gymnasium, entre elas só duas meninas. Mesmo assim minhas amigas amaram, também, as bresileiras foram a atração da noite. Gostaram tanto que nem queriam sair de lá. Mas eu tinha prometido pra Camilla que a encontraria lá e já faz um bom tempo que ela me chama pra sair e eu não vou e ela queria muito mesmo me ver e me dar meu presente de aniversário. Diante disso as meninas resolveram inventar que uma de nós estava passando mal e que nós iríamos para cidade mais tarde do que o horário combinado. Parecia dar certo, mas dalí a uns 5 minutos Camilla me liga "consegui um amigo pra te buscar de carro, chegaremos ai em 10 minutos" Choquei né? Mas aceitei, pelo menos serviu pra economizar no ônibus.
Quando ela chegou tive um sensação muito estranha, a Camilla era minha amiga de Svendborg, as meninas minhas amigas intercambistas e o pessoal de Oure era da minha escola. Esse três nunca tiveram nenhuma conexão e de repente, naquele momento estávamos todos juntos no mesmo lugar, minhas três "vidas" da Dinamarca estavam ali. MEDO.
Depois fomos para cidade.
Lá na boate estava como sempre mas eu estava muito cansada, não entendia porque. Assim que cheguei em casa percebi que estava era muito doente (e estou até agora).
No dia seguinte fui para Odense com as meninas e lá encontrei com Guilherme, Gustavo e Jéssica da AFS. Conversamos um pouco e voltei pra casa...morta!

Na estação com os newbies e meus presentes

Australian bar

Rasmus que nos salvou

Minha família linda

Oure

As melhores

segunda-feira, 15 de março de 2010

1.8 na Dinamarca-o dia 10 de março

Como algumas pessoas acompanharam no Twitter eu estava surtando com o fato de ter 18, não me sentia pronta, ainda me sinto uma criança! E estava muito triste por não poder passar esse dia tão especial com minha família e amigos do Brasil. Não estava nem um pouco animada, mas já na terça de noite comecei a mudar de ideia.
Arne veio na escola me buscar para ir pra reunião do Rotary. Chegando lá quase morri de tanta alegria, ali estavam meus dois primeiros host pais!! Eu gosto tanto deles! Sinto tanta falta! Eles me deram um presentinho lindo de mais e minha mãe sentou ao meu lado a noite toda, linda linda linda. Minha última irmã foi também, me levou um presente e um celular novo já que não consegui encontrar o meu.
O jantar foi uma delícia como sempre e antes de começar a reunião o presidente me deu um presente e trouxeram um bolo bem típico dinamarquês pra mim. Aqui a música é bem diferente do "Parabéns pra você", é um música enorme e todos ficam de pé e o aniversariante fica sentado quase morrendo de vergonha. Tipo eu:p
Meu conselheiro também me deu um presente e fui pra casa.
Na manhã seguinte minha host mãe me acordou mais cedo que o normal. Tinha um café da manhã lindo pra mim e meu irmãozinho estava fazendo panquecas pra mim. Na minha cadeira alguns presentes e cartões.
Meu pai comprou bolo pra eu levar para escola, é que aqui quem faz aniversário tem que levar bolo pra escola ou trabalho e distribuir para todos.
Cheguei na escola atrasada como sempre e todo mundo deu um berro quando entrei, mais uma vez cantaram a música gigante pra mi e eu morri de vergonha.
Todos foram uma amor comigo. Ganhei uma rosa do Benjamin que veio na sala de espanhol me fazer uma surpresa.
No almoço muita gente veio me parabenizar e foram uns fofos.
Na aula de história meu professor disse "feliz cumpleaños", tudo bem que é em espanhol, mas achei fofo. Distribui o bolo e colegas amaram.
Mais tarde minha primeira host mãe me ligou dizendo que havia chegado uma caixa enorme pra mim na casa dela e ela veio trazer a caixa e flores pra mim.
A caixa era do Brasil, coisa que minha mãe tinha mandado com o maior cuidado e carinho pra mim e tinha chegado no exato dia do meu aniversário!!
Sapatos pra minha gallafest, brincos, guaraná, leite condensado, cremes de cabelo, tudo que eu mais gosto e no meio daquilo tudo muitas cartas de meus amigos e familiares, chorei muito, chorei ainda mais quando vi que minha prima mandou o ultrasom da filhinha dela.
Mais tarde minha família me levou a um café muito charmosinho e passamos um bom tempo juntos, mais tarde meu host irmão me deu um colar e um vestido lindos.
Dormi feliz e ansiosa pro super final de semana que logo chegaria

Minha família linda que fez uma fetinha no Skype pra mim

Presented do Brasil

A rosa

Maya, Anna e meus bolos

terça-feira, 9 de março de 2010

segunda-feira, 8 de março de 2010

Escolhas, escolhas...

Sempre fui péssima para tomar decisões e admito que sempre precisei de uma ajudinha extra da minha mamãe para tomar as decisões mais importantes.
Essa semana parecia ser normal, dias arrastados na escola e final de semana em Copenhagen no Get Together do Rotary. Mas minha semana mudou drasticamente quando um coreógrafo super cotado de Belo Horizonte chegou aqui em Oure sei lá porque e começou a montar uma super coreografia. A exata mesma coisa aconteceu no último Get Together, um super coreógrafo veio trabalhar aqui só uma semana e eu tive que recusar por preferir ficar com os intercambistas e não ensaiar no final de semana. Mas dessa vez foi diferente, eu já não sou tão ligada nos intercambistas como no início, prefiro fazer minha vida dinamarquesa valer a pena. Sem contar que duas das minha amigas não iriam e as outras duas que mais me importam logo estarão aqui comigo. Sebastian foi embora, Jake me irrita e ainda tem um argentino mala de mais que jura que sou doida pra beija-lo...me poupe-.-'
Então não tinha tanto motivo assim para ir, mas ao mesmo tempo queria muito ir porque ainda não consegui conhecer os novos intercambistas e esse era o último Get Together.
Acabei decidindo por ficar aqui e ensaiar e a semana começou TENSA. Todos os dias ensaiava até 21:00 e alguns dias matei aula de manhã para ensaiar mais. Fiquei stressada, o coreógrafo era LOUCO e me tirava do sério, parecia que ele me perseguia. Numa noite eu estava stressada, cansada, querendo matar o primeiro na minha frente, preocupada com a dança e com meu aniversário que está logo aí, mas logo fiquei contente, sabe porque? há alguns meses minha preocupação era a saudade que sentia do Brasil, fazer amigos, ter meu lugar aqui e me sentir bem nesse país desconhecido, e agora? Me preocupo com minha vida aqui, minha vida dinamarquesa! Quem diria...
A semana foi ocupada e quase não parei em casa. Na sexta dormi na escola e festei um pouco com o pessoal de sempre. Eu ia dormir no quarto do Daniel, mas o anjo fez o favor de trancar a porta. Por sorte a Anna aindanão tinha dormido e fiquei no quarto dela. Ensaiaei no sábado e domingo e passei bastante tempo com minha família.
Estou feliz, mas preocupada. Meu aniversário é depois de amanhã, 18 anos, e o que eu mais quero é ter algo especial! Mas estou cada dia mais desanimada sobre isso. Minha família vai sair comigo pra jantar na quarta e algumas amigas intercambistas vem me visitar e eu ia comemorar no café aqui da escola com meus amigos no sábado. Mas como meu azar sempre tem que botar as garrinhas de fora uma menina vai fazer aniversário no exato mesmo dia que eu em Copenhagen e convidou um monte da minhas amigas, quase todas as minha amigas na verdade. Só os meninos e algumas meninas vão poder ir e minhas amigas estão tentando me convencer a mudar a data pro próximo sábado depois da festa de formatura...mas é depois da festa né? E é uma festa bem grande, algo me diz que esse povo vai estar morto no dia seguinte, sem contar que minhas amigas estão vindo de longe pra comemorar meu aniversário esse final de semana. Sinceramente não sei o que fazer, não sei em que pensar! Minha vontade era deixar isso de lado e fingir que não é meu aniversário, mas agora todo mundo já está sabendo e tem gente contando com isso! O QUE EU FAÇO???

terça-feira, 2 de março de 2010

Feriado de Inverno- Parte festa

Como disse no post anterior eu viajei para Copenhagen na quinta, amo aquela cidade, mas estava meio desanimada de ir na quinta pelos planos incertos. A ideia era ir na quinta, talvez ir no Kulør Bar com Mayara e Maria, na sexta sair pra dançar com Maya, Sophie e Awiti e sábado e domingo totalmente incertos, mas queria ver o Daniel.
Cheguei na quinta e fui pra casa da Maya da minha escola. Ficamos conversando um tempo e resolvemos dar uma volta. O que eu mais gosto do apartamento da Maya é que é super bem localizado no centro de copenhagen, perto de uma estação e da rua principal de compras e sem contar que é como ela morasse sozinha porque ela pode sair e voltar quando quiser que a mãe dela nem se importa.
Fomos dar uma volta na cidade maravilhosa (Rio de Janeiro que me desculpe :P) e resolvemos comer em um sushi bar. A-i m-e-u D-e-u-s! Eu sempre fui apaixonada com sushi e esse sem dúvida foi o melhor que já comi na minha vida! Tudo perfeito!! Mas também, o preço era salgado...
Mais tarde encontramos com Mayara, Maria, uma danesa e mais uma brasileira no Kulør Bar. Fiquei chocada como aquele lugar estava lotado! Era quinta feira e Copenhagen nem estava em feriado! Foi muito bom, como sempre. Sair com brasileira é outra coisa! Dançamos muuuuuuito, e não saíamos de cima do palquinho que tinha lá. A atençãp que recebemos nem precisa falar né? O problema é que no empurra empurra fica meio difícil se equilibrar no alto. Eu estava lá no palquinho e um menino super gatinho me chamou lá de baixo pra dançar com ele. Fui, sensual feito uma cega e desci direto pro chão, direto mesmo, feito uma jaca podre. Ele nem ligou e dançamos muito!

Nossa vista do bar de onde dançamos

Eu estou o CÃO chupando manga nessa, mas é pra registrar que estive lá!! Com a amiga brasileira das meninas, Mayara e Maya

O dia seguinte foi aquela preguiça pós balada, não fizemos quase nada e eu só sai da cama porque a vontade de passear pelas lojas era maior.
Dessa vez a Maya não foi comigo porque tinha que encontrar uma amiga. Nem eu sabia que conseguia me divertir tanto assim sozinha, sem motivo aparente. A cidade é uma delícia, eu sempre ando escutando música, mas dessa vez fui sem o iPod, estava achando uma delícia ouvir as pessoas, os carros, as línguas diferentes, os diferentes artistas que faziam da rua seu palco.
Andei pelas lojas e logo a fome bateu,logo a frente um restaurante de comida chinesa. Peguei minha caixinha de noodles e me sentei no banco ao lado de um homem que tocava a música do pas de deux de Le Corsaire no acordeon. Vendo as pessoas passando nas mais diferentes e elegantes roupas de frio, escutando aquela música, comendo comida chinesa de chineses imigrantes percebi meu gosto pela aquela cidade crescer cada vez mais, por esse país, essas pessoas, essa experiência. Foi uma alegria sem fim e me fez perceber que cada coisa que passei nesse ano valeram a pena.
Mais tarde Sophie encontrou com agente. Ficamos horas nos arrumando, tentando achar a roupa perfeita, eu não tinha me preparado pra tanta festa assim quando arrumei a minha mala e dei uma super improvisada. Peguei um blusão que tinha, um cinto e como estava muito sem graça coloquei uma super meia calça roxa, brega, mas nada sem graça mais hahahah
Mas o esforço não valeu de nada, a nossa festa mesmo foi na rua sem tirar o casaco. Conversamos com pessoas aleatórias, tiramos fotos, fizemos bagunça na cabine de fotos, dançamos e pulamos pela rua a fora, entramos em bares aleatórios até finalmente chegar na boate que iríamos dançar. Eu entrei, não tive que mostrar identidade nem pagar, não me perguntem porque, a Maya entrou e pagou mas a Sophie não entrou porque não tem 18 anos.Tivemos que sair e a esse ponto estávamos tão cansadas que voltamos para casa.

Arrumadas para noite...não adiantou de nada

Nossa farra na cabine de fotos

No sábado resolvi voltar pra Svendborg, só queria saber de descansar depois de duas noites de festa. Cheguei em casa por volta da 20:00 e logo minha vizinha, Camilla, me ligou chamando pra ir na cidade. Tudo que eu mais temia, eu estava morta!! Mas fiquei com dó, há semanas ela me chama pra sair e eu nunca posso, e meus próximos finais de semana estão cheios. Resolvi pegar minhas últimas energias e sair.
A Camilla é a amiga que toda garota queria ter, sempre que eu chego lá ela abre os armário lotado de vestidos e maquiagem e manda eu escolher, ela ainda arruma meu cabelo!!
A boate estava boa como sempre e como sempre dançamos muito, ela arrasa na pista de dança. Um cara veio conversar com agente em inglês perguntando se éramos da escola de ginástica que tinha alí perto porque dançávamos muito bem. Logo ele disse que era da Inglaterra (ai, sotaque britânico ME MATA*.*). Quando eu disse que não, mas que dançava ballet em Oure ele pirou! "Eu também sou bailarino!"
Aham, senta lá Cláudia! Um homem desse tamanho, másculo assim (lindo assim :s) bailarino? Fiz o garoto me mostrar. Ele fez do bar a sua barra, fez uns pliés e levantou pernas. Quase morri de rir e de vergonha alheia. Ele pegou meu telefone.
Voltamos pra casa já de manhã e logo percebi que tinha pedido meu celular :(

Camilla <3

Roupas da Camilla e cabelo feito por ela

Na boate de Svendborg

Por último um anúncio de uma faculdade que eu vi no ônibus que quer dizer exatamente o que é o intercâmbio:

"O melhor, mais difícil e mais divertido ano da sua vida"

segunda-feira, 1 de março de 2010

Feriado de Inverno- Parte família

Semana passada foi o feriado de inverno pra minha ilha, Fyn, e o norte da Jutlândia, o resto do país teve uma semana antes porque normalmente o pessoal sai pra esquiar e se todo mundo entrar de férias ao mesmo tempo o país para.
Minha família atual viajou com a renca mais agregadas e naturalmente não tinha espaço pra mim e fui passar a semana na minha segunda família.
Eu não estava nada animada com a ideia, não ia fazer nada de mais e o desânimo aumentou quando vi que colocaram a minha cama no meio da salinha entre o quarto dos meninos, ou seja, eu iria dormir no meio da bagunça de Anthon e Carl-Emil.
Mas logo na primeira noite percebi que tinha me enganado. Eu me sentia super a vontade e em família com aquelas pessoas, muito diferente da minha atual casa e surpreendente mente os meninos sentiram minha falta. O pequeno, Sigfred, que eu sempre achei que me detestava, simplesmente não largava de mim! Agarrou no meu pé (literalmente), me chamava toda hora pra brincar, sentava na minha cama comigo toda hora e fez uma abelhinha muito linda pra mim. Os outros dois estavam um amores como sempre e Anthon e eu conversamos coisas que converso com meus amigos mais próximos. Katja sempre um amor, me trazia chá, bolo e chocolates todas as noites e fazia comidas deliciosas! Morten sempre foi muito carinhoso comigo e suas brincadeiras sempre me animam.
Foi um clima tão família, tão bom...
Na segunda eles me levaram a um parque aquático, bem pequeno na verdade e ficamos 2 dias com um amigos da família. Todos me trataram super bem e foi bem legal. Tinha uma menina de 11 anos filha dos amigos que simplesmente apaixonou comigo, não me largava e elogiava minhas roupas, minhas unhas, meus sapatos, meu cabelo...meu cabelo é sacanagem, a menina devia ser cega.
Nesses dias eu tive a noite mais legal de todas com eles. Os pais estavam bebendo vinho em um quarto e eu fui pro outro porque estava cansada. Logo todos os meninos vieram atrás, 5 crianças! Sentaram ao meu lado e quiseram ver fotos do Brasil, viram cada uma com o maior interesse. Depois ligaram o som na maior altura e ficaram dançando feito loucos e comendo doces, eu só rindo de todo mundo.
No dia da volta, terça feira, aproveitamos o bom tempo e fomos passear na praia, lindo o lugar!
Quando cheguei em casa entrei na internet e o menino que está indo pro Brasil, Benjamin, começou a conversar comigo. Não entendo como consigo conversar tanto com ele! Faz o que? Uns dois meses que eu o conheço e já me sinto super íntima. Só naquela noite que passei horas no quarto dele conversando e eu mal o conhecia já deu pra ver que agente tinha a maior afinidade. Mas na terça de noite foi de mais! Começamos a conversar por volta de 10 da noite e só paramos quase as 6 da manhã! E só parei porque Morten já tinha acordado pro trabalho! Na noite seguinte foi a mesma coisa, mas fui dormir mais cedo porque tinha que viajar para Copenhagen...Agora Copenhagen...COPENHAGEN! Foram as duas noites mais divertidas e loucas! Mas isso é história pro próximo post, muita história...





Por último meu querido Anthon fazendo a louca: