sábado, 28 de novembro de 2009

Sexta feira muito louca

Mentira, nem foi muito louca, mas eu acordei com vontade de ser breguinha e associar com o filme =S
Mas não foi uma sexta comum de escola, bicicleta pra casa e internet até tarde.
A aula foi o mesmo mártire de sempre, mas meus colegas de classe estão a cada dia mais fazendo tudo valer a pena. Levi e Mathias nunca me deixam sozinha, eles são uns amores mesmo, e é impressionante como eles arrumam assunto sempre e são muito interessados em tudo que vem do Brasil. Maya sempre comigo, amiga mesmo. Tem uma novata, a Anna que é muito carinhosa comigo, mas ela tem uns probleminhas e ela já confia tanto em mim que eu sei de tudo da vida dela. Daniel está um pouco diferente de uns tempos pra cá, mas ele é sempre bacana comigo.
No almoço sentei com umas meninas e uma menina que nunca tinha visto na vida começou a falar comigo em inglês, eu acho uma graça isso porque eu nunca faço a menor ideia de quem é a pessoa mas ela já sabe bem quem sou eu. Ela é uma fofa e fez todo mundo da mesa conversar em inglês, mas eu ainda não sei o nome dela :s
Depois da aula Julie, que sempre foi um amor comigo, começou a me perguntar pra onde eu ia, o que ia fazer. Quando eu falei que ia pra casa ela disse "Ah, eu estava pensando se um dia agente podia ir juntas pra um cinema ou você vir aqui passar o dia comigo" Que fofa!! Eu disse que claro, era só ela me falar o dia. Ai já ia me despedir e ela disse "Eu só vou fazer minhas malas e vou pra casa também, se você quiser vem conhecer meu quarto". Eu fui, esses gestos na Dinamarca não podem ser disperdiçados.
Conversamos bastante e sobre tudo, ela é muito legal de verdade. Ai em algum ponto da conversa ela vira para mim e diz "Sabe Luiza, as vezes eu não converso muito com você mas é porque meu inglês é muito ruim, mas eu queria conversar bem mais com você, então se algum dia eu não conversar com você pode dizer 'Julie! O que está acontecendo? Fala comigo!' A Sofia e a Emilie (as duas meninas que andam com ela) são doidas para falar com você também mas elas tem muita vergonha e nunca sabem como chegar para conversar" Gente, que coisa! Como assim! Não é difícil falar comigo não! Ok, o inglê pode ser um prolema, mas meu inglês nem é grandes coisas e o delas é muito bom!
Mais tarde fui pra casa tomei um chá com minha família e eles sairam pra uma festa da firma da Birgitte. Aí começou minha luta com o fogão. Gente, eu sou uma negação na cozinha, mas negação mesmo! E eu sempre tive medo de fogão, de fogo e coisas do tipo, eu só fui aprender acender um fogão quando eu tinha uns 14 anos, sendo que é só a perte de cima, porque o forno mesmo eu não consigo, morro de medo. Ai minha mãe daqui me coloca pra fazer comida enquanto estou sozinha em casa em um fogão muito esquesito!! Olha o que aconteceu



Hehehe eu sei que eu estava um lixo, mas é normal a essa hora da noite, depois das 22:00 é que eu fico pilhada.
Dai ok, fiz minha comidinha e...



Foi um Auê aqui em casa, eu escrevi no facebook "I can't turn off the freaking oven!!" e um tanto de gente riu da minha cara, claro. Um povo veio falar comigo no msn do tipo: Como assim você não consegue desligar um forno? Galeeeere, não conseguindo horas!! Daniel falou o que minha host mãe tinha me ensinado e eu já tinha feito, a Anna disse que o máximo que ia acontecer era o botão derreter (valeu aí). Liguei a webcam pro meu primo João Vitor pra mostrar pra ele a stuação e de lá do Brasil ele ficava "aperta esse trem ai, gira ali" não sei o que agente fez, mas o trem desligou. As vezes é o nomal do fogão, sei lá.
Mas o mais legal foi depois. Eu estava contando pra Jel o que aconteceu e ela disse: "Botar fogo na casa como Luiza? O fogão não é a gás e nem tem fogo!" Ahhhnnnnn

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Vídeo XD

Eu sei que eu estou um terror e que provavelmente vocês não vão entender nada porque eu falei embolado, maaaas vou colocar mesmo assim, só porque foi o primeiro no dia que o Lucas me deu a ideia, tudo bem que isso foi antes de ontem mas vale. Então preparem-se para me ver no meu fim de dia, MORTA!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fotos e danêses do meu coração

A Mayara liberou as fotos!! Aê! Hahahahahha
Lá vai

Se liga no make up de drag-queen, sério, eu não sabia que tava assim :S

Eu tomei um tombão perto da pequena sereia, nada bacana u.u

La Hacienda! Eu, May, um sul africano aí e Maria

A balada sempro começa no ônibus/trem :p

Exposição sobre o clima

Essa cidade é um charme

Tacando o boomerange, desastre


Agora coisinhas que aconteceram nesses últimos dias.
Coisa número um:

Esse é o Daniel da minha sala, e SIM, isso é Guaraná! "Mas como assim? O Daniel não é da Dinamarca e guaraná do Brasil?" pois é, imaginem a minha surpresa quando eu vi essa foto no meu msn. Quase caí pra trás, ainda mais eu que sou LOUCA com esse trenzinho aí!! Ele achou esse final de semana em Copenhegen e trouxe, não vejo a hora de pegar com ele!!
É, ele é um dos danêses do meu coração, depois dessa né? hahahahah
Antes de falar do outro só explicar, o certo é dinamarquês, mas danês é muito mais fácil de falar e escrever =p
Agora continuando, tem a Maya, esse final de semana eu tinha combinado com ela para ela ir par minha casa e agente fazer brigadeiro, mas como fiquei doente ela não foi.
Ontem fui no ballet e ela veio toda animada me comprimentar e contar do final de semana. Ela normalmente não fica na escola nos finais de semana, mas esse ela ficou e foi pra uma festinha da escola, ela disse que lá um monte de gente começou a falar com ela que são doidos para conversar comigo mas não sabem como, que lindos! Inclusive um menino que vai fazer intercâmbio ano que vem, quero conhecê-lo.
Ai agente estava conversando e do nada ela disse: "eu pensei em você muito esse final de semana, estava preocupada, espero que estaja melhor" Linda! Yeah, I got a friend =D

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Copenhagen

Depois do passeio para ver a pequena sereia a família da May fez um bolo típico dinamarquês muito bom para comemorar o aniversário dela. Depois fomos para um parque jogar boomerange. É isso mesmo, boomerange. Não sei que ideia foi essa, o negócio é difícil de mais! O máximo que consegui foi mandar o treco super longe um monte de vezes e sair correndo atra do pauzinho feito um cachorro. O host pai da May até tentou me explicar: você tem que ver a direção do vento e girar 45 graus em relação a ele, virar o boomerangue a 30 graus do seu corpo e jogar assim óóóóó.... Falou ai tio, entendi tudo. Sem contar que aquele lugar estava uma lama só, perecia que tinha crescido uma graminha em cima de um lago de tanta água que tinha.
Mas acreditem, foi bem divertido.
Depois voltamos para casa para nos arrumar, uma hora sempre tensa, ainda mais para mim que não tinha roupa, gente, eu não trouxe roupa para tanta balada não! E nem vou comprar tão cedo, mas por sorte a linda da May me salvou com um vestido mara.
Nem fui gatinha, mas estava valendo. Nessas minhas noites aqui já aprendi que pra pegar denês precisa de mais que um rosto bonito.
Lé fomos nós para La Hacienda, enooooooorme, nem consegui ver tudo, tive que escolher entre andar pelos andares daquela boate ou aproveitar a noite em um lugar só. Resolvi andar um pouco e depois curtir em uma das pistas de dança.
Não voltamos tão tarde como das outras vezes, mas é que em Copenhagen a coisa é diferente. Os dinamarqueses dizem que lá é barra pesada...momento de reflexão, alguém conta pra eles que eu sou do Brasil?? Eu e May fomos pegar o ônibus sozinhas as 2:30 da manhã, quando que isso ia ser viável no Brasil? Mas de fato Copenhagen é diferente. Lá você vê algumas pessoas pobre e gente de todo o mundo. Até na boate o pessoal é diferente, o pessoal chega na gente e na saída da boate uma cara tentou me beijar, tipo micareta sabe? Terror, está aí uma coisa que não sinto falta do Brasil u.u
Dia seguinte foi o mesmo de sempre pós balada:acordar tarde e pegar o trem na maior falta de glamour.
Gente!!!! Sei sei que estou demorando séculos para escrever aqui, responder recados, entrar no msn, responder e-mails e tudo mais, minhas amigas estão quase me matando já, mas juro que essa semana tenho uma boa desculpa!
Eu andei master ocupada essa semana, eu só chegava em casa depois das 20:00 pregada, teve dia que eu fiquei na escola ensaiando até 20:30! É que a apresentação de fim de ano está chegando e eu vou dançar com duas turmas. Sem contar que minhas aulas de dinamarquês estão acabando e a turma quer passar o máximo de tempo junto então minhas segundas e quintas não estão vazias. E nem nas aulas eu estou tendo muito tempo porque tem uma menina que está com uns problemas aí(não posso contar com detalhes) e ela fica falando comigo a aula toda e eu tento fazer o máximo para ajudá-la. E agora eu estou mais amiga do pessoal e estou fazendo alguns trabalhinhos com eles então eu não fico mais tão atoa como antes.
Esse final de semana não fiz nada, tinha até marcado com uma colega da minha sala para vir aqui em casa mas não deu. Depois de uma semana tão agitada eu adoeci =( fiquei na cama quase que o tempo todo dês de sexta, bem mal... agora já estou melhorzinha e espero voltar a escrever direito aqui.

Faltam fotos, as fotos mais legais estão com a May, mas ela está me enrolando para passar, passa a foto aí Mayara!!!! hahahah

Banheiro da balada

Voltando de busão, olha meu estrago

Não sei se tava voltando ou indo, reparem que nessas horas minha cara é sempre a mesma hahahhahahahahha

Indo de trem pra balada

no parque pra jogar boomerangue

Exposição em Copenhagen

A pequena sereia do post anterior

Estátua da china que falei no post anterior

Copenhagen *.*

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Copenhagen!!!! parte 1

Leita- E aí Luiza, o que vai fazer esse final de semana?
Luiza- Vou para Copenhagen!!
Leita- Vai viajar de novo? Porque você é tão doida?
E ela não foi a única que disse isso! Mas as pessoas alternavam em me chamar de doida ou rica. Galera, nem um nem outro! Eu sou uma das únicas intercambistas que os pais não mandam dinheiro todo mês e uma das únicas que ainda não pediu para o pai colocar mais dinheiro na conta. Acontece que eu já vim com o dinheiro pro ano todo comigo e dividi pelos meses que vou ficar aqui, então por mês eu gasto a mesada do Rotary mais uma parte do dinheiro da minha mãe.
Ai eu não compro roupa, não compro comida, não gasto com NADA, só viajo =) E é dessa maneira que eu já conheço muito desse país, já fui a todas as grandes cidades, já festei em lugares diferentes e espero continuar assim!!
Semana passada foi aniversário da Mayara e ela me chamou para passar o final de semana com ela. Não pensei duas vezes! Eu tenho saído bastante com o pessoal da Julland mas via pouco o povo de Copenhagen e a Mayara é uma das minhas melhores amigas. Sem contar que é Copenhagen né? *.*
Fui na sexta de trem, sentada no chão como sempre.
Cheguei lá encontrei com Mayara, Maria e Paulo, andamos um pouco depois eu e Mayara fomos encontrar com Daniel. Ele é de Copenhagen ele é de lá e foi passar o fim de semana. Andamos um pouco, o tempo estava terrível, uma chuva sem igual, mas ainda foi legal. Adoro os dois, e a May gostou de conversar com ele.
Fomos para casa dela e ficamos até duas da manhã conversando, mexendo na internet e rindo feito duas loucas.
No dia seguinte o pai da May nos levou por um pequeno tour pela cidade, eu achei ótimo porque quando estive por lá não vi nada além dos teatros e salas de ballet. E o mais importante: Finalmente vi a pequena sereia!! É uma estátua super famosa daqui, uma das atrações turísticas mais famosas da Dinamarca. Eu já sabia que não era nada de mais, mas falavam que eu tinha que ir, porque ir à Dinamarca e não ver a pequena sereia era o mesmo que não ir à Dinamarca.
Cheguei lá e estava lotado de gente querendo tirar foto. E olhe a pequena sereia é pequena mesmo. Não é nada de mais, mas fui lá, esperei vidas para tirar uma fotinha com aquela garota verde.
Mas esse nosso passeio teve um plus bacana. Tinha mais uma estátua, perto da pequena sereia, vinda da China. É que a Dinamarca e a China estão em uma espécie de intercâmbio, essa estátua veio pra ca e a pequena sereia deve ir pra lá (mais um motivo para ir logo vê-la). A estátua é muito estranha, mas foi engraçado.
Depois fomos passear no Nyhavn, um lugar muito charmosinho. Aliás toda a cidade está muito charmosa, mais que o normal. As decorações de natal já estão aparecendo e estava tudo tomado por feirinhas de roupas de frio e enfeites de natal, cerveja natalina e música.
Mais tarde fomos para casa da May preparar para uma noite bombante =p


Não estou conseguindo postar fotos não sei porque. POsto no próximo

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Melhoras e batata frita =p

Oi gente! Estou melhor! Eu disse, disse que era só me deixar curtir fossa sozinha que eu ia melhorar. E claro, com ajuda de uns comentários fofíssimos que recebi e uns abraços de pessoas especiais *.*
Então, é com mais animação que volto para contar uma coisa que esqueci de contar do show da Medina. Quem me conhece pessoalmente sabe que sou louca com dança e em festas o meu lugar é a pista de dança, sempre! E eu danço freneticamente! Por sorte achei a Naty que é das minhas, ama dançar as mesmas músicas que eu.
Então, no dia do show estava rolando música antes dos artistas subirem ao palco. Ai tinha o palco, uma pista de dança na frente desse palco e em volta, um pouco mais alto que a pista, algumas cadeiras em volta e umas mesas. Todo mundo entrou e foi sentando ou ficando em pé, fora da pista. Como agente não é de desperdiçar música boa fomos pra pista. Agora imaginem, duas garotas dançando feito loucas no meio de uma roda enorme de gente olhando pra elas! Pois é, foi assim mesmo! Fomos a atração do momento. E pra ajudar ainda tinha uma louca que ficava gritando "uhuuuuuuul" e batendo palma pra gente....eita.
Agora vou contar o que muita gente deve ter se perguntado quando viu o título: que história é essa de batata frita?
Então, seguinte, um dia desses, semana passada acho, eu estava no quarto do Daniel ai o Casper, um menino da minha sala, chegou perguntando em dinamarquês se eu gostava de uma certa coisa. Eu entendi que ele queria saber se eu gostava de algo, mas não sabia o que significava esse algo. Aí Daniel disse "é batata frita". Acreditei e disse que gostava. Aí passou um garoto no corredor e Casper fez a mesma pergunta, o menino disse que não, ai ele me disse "é, ele não gosta de batata frita". Eles me fizeram repetir algumas vezes, pra ver se eu tinha aprendido mesmo.
Já tinha esquecido dessa história, mas terça estava conversando com Mathias e Maya e não sei como Casper entrou na conversa e começaram a falar danês, eu comecei a mexer no computador e parei de prestar atenção no papo, até que ele gritou "batata frita Luiza?" Ai Maya disse:
-Vocês está entendendo?
-Hm? Oh...desculpa não prestei atenção...o que foi?
-Nada, ele só está querendo te ensinar a falar pênis em dinamarquês (foi mals garele, mas tive que escrever)
-Que??? Ain carai...espera, como fala batata frita em dinamarquês??
-(daí ela falou um trem que, na boa, não faço a menor ideia de como escreve, mas completamente diferente do que os meninos tinham falado)
-NÃÃOOOOOOOOOOO
Gente, juro, fiquei vermelha de um tanto, de um jeito que nunca fiquei. O povo raxou de rir da minha cara, claro.
Agora toda hora que Casper passa perto de mim ele me pergunta se eu vou comer batata frita O.o
Falei isso pra Jel e ela disse: Ah amiga, pelo menos você disse que gosta né?
Hahahahahahah

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Show da Medina e o mês da depressão =/

Demorei? Fala sério vocês nem sentiram falta!
Desculpa não falar nem pra onde ia, mas na hora que escrevi o último post a aula já estava acabando e todo mundo estava na correria pro almoço. E a demora de tanto tempo para escrever é que nunca estive tão ocupada, só tenho tempo durante as aulas, mas perece que a medida que o tempo vai escurecendo a cada dia, meu humor piora. Agora estou na escola, meu humor não está dos melhores
O fim de semana foi muito bom. Na sexta fui pra casa da Naty, 3 horas sentada no chão do trem, nada luxuoso, mas essa história de pagar para reservar lugar já não faz parte da minha vida há um bom tempo. Agora cada Coroa é contadinha.
Na casa dela ia ter um jantar de aniversário pro host irmão dela, o jantar estava uma delícia de verdade.
No dia seguinte fui pra Holstebro, cidade da Lívia. Conheci a casa e a família super gracinhas dela, e ela tem um irmãozinho de dois anos que me lembrou muita a minha irmã do Brasil. Lindo de mais.
De noite fomos para a boate onde seria o show tão esperado.
Eram sete artistas aqui da Dinamarca, eu só conhecia dois, Medina e Joey Moe, e conhecia duas músicas de cada, mas foi muito bom. Dançamos muito, demos muita bobeira, nos divertimos com as tietagens do danêses. Depois do show fomos para pista de dança.
Saímos as cinco da manhã a pé pra casa, nem senti o frio, a dor que sentia nos pés por conta do salto sobressaía. Domingo cheguei em casa depois das 22:00.
Ah gente isso ficou uma droga, não consegui relatar nem metade do que aconteceu, mas não estou animada pra nada, e nem adianta esperar a animação chegar porque a cada dia é pior.
Quando cheguei aqui me lembro dos meus colegas de classe falando que Novembro era o pior mês na Dinamarca e todo mundo ficava deprimido. Estava no verão, no inicinho do intercâmbio, achando tudo lindo e perfeito, nem acreditava que isso podia acontecer.
Me surpreendi quando minha amiga me perguntou o que eu tinha por que estava com uma casa péssima. Quando eu disse que não sabia ela disse: é o mês de Novembro.
De fato, esse mês é danado! Não tem nada, Outubro ainda teve a semana de férias e Dezembro é todo voltado para o Natal dês do primeiro dia. O que Novembro tem de diferente é que os dias estão ficando cada vez mais frios, mais curtos e escuros. E aqui nessa época o ano letivo nem na metade está, então nem tem aquela clima bom na sala de aula, clima de férias. Sem contar que há mais de duas semanas o sol não aparece, só esse céu cinzento.
E o mês está se arrastando de uma maneira...o tempo não passa! Tudo que queria fazer era só dormir, ficar na minha cama o dia todo sem pensar em nada, mas é o que menos tenho feito, ontem mesmo eu cheguei as 23:00 em casa porque fui em uma apresentação com a escola.
Gente, aceito mensagens de incentivo, mas se mais alguém vier falar que eu não posso ficar triste porque esse é meu ano de intercâmbio, eu vou ficar fula da vida, deixa eu ficar nesse humor negro, pelo menos por uns dias.



Tá, tem mais uma coisa que está ajudando muito a me deixar pra baixo, mas não sei se escrevo aqui...=(

Naty louca com o Brasil feito de batom (o mesmo gritante da minha boca :s )

Medina

Antes do show

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Malas prontas mais uma vez

E aqui estou eu, de olheiras por arrumar mala na última hora (do dia), cabelo bagunçado por ter acordado tarde e não ter muito tempo para arrumar, de mala na mão no meio da aula de física, resumindo, gaaaaata sem igual! Pra que tudo isso?
Em breve viajo, mais uma vez =DDD

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Um dia com neve *.*

O dia começou com uma mensagem do Daniel as 7:30 da manhã: seria uma perda de tempo para você vir para Oure hoje... é eu já sabia, minha sorte porque normalmente as 7:30 da manhã eu já estou acordada há muito tempo, dentro do ônibus depois de passar um frio do cão do ponto com aquele bom humor que só eu sei. Mas já tinham me avisado que haveria uma atividade em Oure e eu não precisava ir. Só olhei pro celular e voltei a dormir.
Depois de um bom tempo acordo, ligo o computador e a Mayara vem me falar: Aqui em Copenhagen está frio de mais! 2 graus, mas a sensação é de graus negativos. Aí me lembrei da notícia que Daniel havia me mostrado: 5 graus em Fyn, mas a sensação seria de -11 por conta do vento e da chuva. Já ia reclamar, tipo: e nesse buraco só chove e venta! Nem neve pra melhorar tem! Olhei pra janela e ví que tinha coisa caindo "Eita chuva do caramba!" Mas estava lento e branco de mais para ser chuva. É NEEEEEEVEE!!! Saí correndo pra janela, soquei o joelho no aquecedor monstro do meu quarto e ví os floquinhos caindo, voltei pro computador e escrevi pra todo mundo que estava online "caraaaaal... ta nevaaando!!!" inclusive pra quem não entende português :p
Mas minha camêra estava quebrada (de novo, aff), desesperei procurando uma câmera pela casa e ví uma bem encima da mesa. Fui de pijama e de meia pro lado de fora (na boa, eu não funciono bem de manhã) e tirei umas fotos até quase perder meus dedos por conta do frio.
Não nevou muito, não está nada branquinho por aqui, mas foi legal =)
Aí muita gente está pensando "porraaann que besta essa menina, se animando por um pouquinho de gelo caindo do céu! Vai no congelado e joga pra cima!" Neeej galere, inclusive eu já tinha visto neve antes, mais de uma vez, mas o barato é acompanhar cada etapa desse lugar! No Brasil agente não tem disso, mas quando cheguei aqui estava tudo verdinho, depois as árvores foram ficando com um tom alaranjado, depois as folhas foram caindo e agora neva! Das vezes que eu ví neve o lugar já estava nevando faz tempo (o que não diminuiu nem um pouco a emoção de criança besta). Só acho que se eu viver cada momento novo aqui com entusiasmo essa aventura vai valer ainda mais =D
Depois disso estava pronta pra passar o resto do dia debaixo do cobertor olhando para o frio que eu não teria que enfrentar até que a Maya da minha escola me ligou. Tinha esquecido que havíamos combinado de ir no cinema, ainnn.
Me arrumei (o que consistiu apenas em me amontoar de roupas, nada além disso) e saí. Na sala minha host mom fofa tinha deixado um dinheirinho pro cinema e um recadinho super carinhoso. E o dindin foi bom de mais porque cinema aqui na Dk custa 80 kr, mais ou menos 32 reais!! Roubo sem igual!
Peguei a bike. Não tinha mais neve, só chuva e vento. Não foi divertido.
Cheguei no ponto ensopada.
Encontrei com a Maya em Svendborg e fomos ver This is It do Michael Jackson, muito bom, recomendo.
Agora estou aqui, feliz, me preparando para aula de dinamarquês de amanhã.

Primeiros floquinhos, nada branquinho e fofo babies, mas foi bacana.

domingo, 1 de novembro de 2009

30 de Outubro


Deeeer Luiza, já é 1 de Novembro! Esqueceu do remedinho?
Não gente, eu sei que dia é hoje, mas sexta passada foi um dia importante e agora estou tempo pra escrever.
Acordei com o (mau) humor de sempre, parecia um dia normal e escuro (é, o sol só sai depois da 7), fui pra escola e a internet não estava funcionando, estava na cara que ia ser um dia zicado né? Não foi, de início pelo menos.
Eu só tinha 4 aulas naquele dia e logo após o almoço estava liberada, tinha esquecido o sabor da liberdade pós uma da tarde. O dia estava incrivelmente ensolarado, quente (sete graus, mas o sol fez uma diferença sem igual), o céu azul e sem vento e chuva que não haviam dado trégua nos dias anteriores. Aqui dizem que se é aniversário de uma boa pessoa o tempo será bom naquele dia, só podia ser isso: era aniversário do meu Papai! Só uma pessoa maravilhosa como ele pra fazer o tempo ficar bom até aqui na Dinamarca.
Saí com um super bom humor animada a passear por ai. Cheguei na cidade e fui passear. As pessoas estava escornadas pelos cantos bebendo e outras vestidas de forma muito sinistra. O dia seguinte era Halloween e estavam divulgando a noite do terror, mas o que explicava a bebedeira ás 1:30 da tarde? Dia 30 de Outubro é o dia que os super mercados começam a vender a cerveja especial de Natal, mas pelo que me disseram essa cerveja não tem nada de mais, é só (mais) um motivo para beber mais que o normal nesse país movido a álcool.
Eu não estava afim de ficar vendo bebedeira, fui pro supermecado mais próximo, comprei umas frutas e fui pedalar. Eu curto o contraste, enquanto todos estavam destruindo seus fígados eu estava fazendo um programinha saudável. Pelo caminho fui tirando muitas fotos, sabe-se lá Deus quando ia ver um dia como aquele de novo! Fui para o mar, deitei na ponte e fiquei lá, escutando o barulho do mar, com minhas frutas e deixando o pensamento correr.
Voltando pra casa jantar de família, minha host family mais os avós. Me deram um tal de snaps pra beber. Já disse o quanto esse povo brinda né? De brinde em brinde fui ficando ajeitada, até que quase mergulhei no prato de sopa e me dei conta "caaraaaaamba, tô de fogo no jantar dos avós!" Não era possível! Eu não podia ser tão fraca assim! Até que olhei na garrafa: 45% de álcool, caraaaa%#@! E eu não tinha bebido só uma tacinha não :s
Comecei q comer um monte, a tomar muita água e decidi ficar o mais quieta possível, mas o amorzinho da vovó começou a falar comigo, detalhe: ela não fala inglês! Disparei um dinamarquês desgraçado, tudo errado, nem tenho certeza do que falei.
O jantar quase três horas (normal por aqui) e deu tempo de voltar ao normal. Fui voltando a mim e foi me dando uma agonia, não conseguia para de pensar no meu pai, uma saudade que apertava, queria sair correndo e abraça-lo, mas ele estava tão longe.
Pedi pra sair da mesa, vim pro meu quarto e fui escrever pra ele. Não consegui escrever nem metade do que queria, não parava de chorar. Por sorte a Lú, uma da minhas melhores amigas do Brasil, estava online no msn e falou que ia ligar pra eles por mim. Linda!! Na hora minha mãe entrou no Skype, mas papai não estava, uma pena, mas minha irmãzinha cantou "como pode um peixe vivo viver fora da água fria, como poderei viver sem a sua compania" e encheu meu coração. Não conversamos muito, eu estava muito cansada.
Mas quem disse que eu conseguia dormir? Estava morta mas não conseguia parar de pensar na saudade. No msn Daniel e um Sebastian estavam online, os dois ficaram me acalmando até eu adormecer. Acordei no meio da noite deitada em cima do computador com uma mensagem na tela: Você é muito importante para mim, só quero te ver feliz =)