quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Fish, ball, cat XDDDD

A Carol Bee me deu uma super sugestão ontem, colocar o vídeo que agente fez do Jake no introcamp. No vídeo dá pra ver o jeitinho hiperativo dele e ouvir minha voz. Quem fala o tempo todo é a Jel, mas eu sou quem fala "what is your name?" depois e ele entende.
Brincadeirinha idiota, mas agente raxou de rir.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Fotos, MUITAS FOTOS!

O dia mal começou e já sei mancadas. Ontem de noite um colega de sala veio me falar que a primeira aula foi cancelada. Eu achei um saco porque sabia que ou teria que pedalar ou ir com meu pai no horário normal e ficar esperando uma hora e quarenta na porta da sala feito panguá. Eu odeio ficar esperando 30 min, quem dirá isso tudo! Mas o sol está aparecendo tarde e as manhãs estão muito chuvosas e frias para pedalar. Mesmo assim preferi pedalar, no vento, frio e chuva, mamãe vou gripar. Depois tinha que parar o busão no meu ponto, mas como o ônibus era diferente eu não sabia ao certo onde era o botão pra parar então apertei a primeira coisa vermelha na minha frente. Era o botão para pedir cafezinho (wtf?) e o motorista olhou pra mim com aquela cara de bom humor matinal e gritou alguma coisa em danês. Eu só conseguia falar: Undskyld! Undskyld! (desculpa) No minha pronúncia tiozinho em danês.
Chegando aqui na escola o gatinho da minha sala, M, (que de novo está bicando ao meu lado e não posso escrever o nome) estava na minha frente enquanto eu estava sentada, ai caiu alguma coisa e ele abaixou para pegar com a bunda bem na minha cara. Eu olhei, mas não porque sou tarada tá? É porque primeiro aquela coisa estava na minha cara e não tinha como não ver, e segundo a cueca dele erá mó estranhona, roxa com umas folhas e/ou flores abstratas colordas e me prendeu atenção. Mas ele percebeu que eu estava olhando e falou todo envergonhado: Hi Luiza e tirou a bunda da minha reta. Eu queria raxar de rir da cara de terror dele!!
Agora estou na aula de sociologia e professos é meio retardado. A aula dele foi a única que eu realmente me apresentei (em ingtlês, claro) falando quem eu era e de onde vinha. Mas hoje ele estava dando aula e fez uma pergunta pra mim sobre a matéria em dinamarquês! Eu falei em inglês que eu não entendia, mas ele não fala inglês e ficou tipo: Responde sua anta! Meus amiguinhos do coração ao invés de falar com ele ficavam: Fala em dinamarquês Luiza! Tive que falar: Jeg fostår ikke dansk. (não entendo dinamarquês) com a cara até queimando!
Anyway, o real motivo para vir aqui hoje foi a Érica Ferro que sempre vem aqui e me pediu fotos e percebi que coloquei poucas aqui. Sei que ontem de noite postei, mas já estava doida para colocar fotinhas =)) Provavelmente vai ter fotos que já coloquei, mas não importa.

Parte do meu quartinho e eu na minha primeira noite com roupas emprestadas porque estava sem mala =s

Campos de trigo já na colheita, sou apaixonada por esses rolões que eles fazer para recolher o trigo.

Eu dormindo da foto de classe xp Turma de dinamarquês

Rotary

Na minha chegada, de blazer e sem malas

Jel e Lucas (argentino)

Jake

Minha bicicleta e a vista perto de casa

Os fundos da minha casa

Passa tempo familiar, ir para ponte da praia

Minha classe de danês em Faaborg

Meu primeiro texto em danês

Svendborg, minha cidade

Alguns dormitórios de Oure

Refeitório

Café de Oure

Copenhagen *.*

Meu novo estilinho, lenço e meia calça, só não tive coragem de assumir esse meu black power =p

Coisa de intercambista, mas já perdi um monte =(

Aula no verão é assim

Ixi...acho que empolguei e coloquei muita coisa, mas procurei colocar tudo que falo sobre para ilustrar minhas "aventuras".
Só vou contar uma coisisnha que acabou de acontecer. O professor de sociologia queria os alunos fizessem um teatrinho para ilustrar a matéria. Pra minha surpresa o primeiro grupo foi lá na frente e fez tudo em inglês!! Muito fofinhos! E o professor nem entendia direito, mas eles fizeram pra mim *.* O melhor foi o Daniel no final: Viu Luiza? Agente se importa tanto com você que até fazemos nossos trabalhos, que já são difíceis, ainda mais difíceis pra você entender! Nossa, isso fez a minha semana *___________*

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

I am so damm boring

É, eu sei, esse blog está um saco, mas minha vida anda assim, nada de mais, não ruim, não estou reclamando de jeito nenhum, mas nada que vocês não saibam,então nem vale a pena encher com essas bobisses cotidianas. As únicas novidades que tenho para contar para vocês é que minha TPM passou e entrou mais um americano insuportável na minha sala de dinamarquês, e de certa maneira ele me irrita mais que o outro porque o outro é um idiota e podemos rir da cara dele, esse ainda é inteligente. A primeira atividade do dia foi juntar pares e perguntar o que fez no final de semana passado, eu sai com ele. Terminamos a atividade e comecei a socializar né, afinal o menino era novo, em inglês. Ele me respondia só em dinamarquês e eu pensei "ah que bonitinho, querendo praticar" e comecei a falar em dinamarquês, mas quando eu perguntava "o que você disse?" ele fazia maior cara de deboche e me respondia como se eu fosse uma mongolóide e se eu não entendia o significado ele ria da minha cara e não me ajudava!! Idiota! E o resto da aula foi assim, ele falando em dinamarquês até e debochando da gente. O pior é que o cabeção chegou aqui há duas semanas e sabe-se lá Deus como ele fala tanto, mas ai ele só ficava falando: "Nossa gente, vocês deveriam ter vergonha! Eu tenho só 15 anos e estou há muito menos tempo aqui e sei mais". Eu sabia que a sala inteira estava fazendo um coro mental: "Go fuck yourself stupid!" sorry mom, mas eu pensei mesmo.
Anyway, não vim aqui falar disso. Como já disse, sei que isso aqui está um saco e só vou ter novidades bombantes (creio eu) no feriado de Outubro =( Mas novos seguidores tem chegado e eu recebo uma média de 20 visitas por dia (na semana do Introcamp eu recebi 40 todo dia) para mim isso é muito porque não tenho divulgado meu blog como fazia antes. E sei que tem gente que vem sempre aqui, então para não ficar chato para vocês ficarem lendo essas bobísses quero que me falem o que vocês gostariam de ver aqui, podem fazer perguntas, curiosidades sobre intercâmbio, minha vida aqui ou algo que não falo há um tempo, podem pedir que escreva sobre algo ou tire foto de alguma coisa especial, qualquer coisa! Podem mandar por comentário ou orkut ou msn ou email que eu terei o maior prazer em atendê-los =D

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

"Quando o tempo vai o vento vem" literalmente =p

Quase dois meses, DOIS MESES longe de casa. Dois meses nessa país tão distante e tão diferente. Não só eu, mas o clima e aparência da Dinamarca estão mudando. A temperatura média das manhãs e noites está por volta de 10 graus e durante o dia 17 graus, mas isso depende de está ventando, chuvendo ou com sol, o que muda aleatóriamente muitas vezes na semana e as vezes no mesmo dia.
Mas a coisa mais linda que está acontecendo é a mudança de estação. No Brasil não vemos muita diferença entre as estações, é tudo verão praticamente, mas aqui tudo é bem diferente. Cheguei aqui no verão, quente de verdade, muito sol, os campos dourados de trigo, o mar baixo (o que permitia nossas cminhadas na praia), as árvores bem verdinhas, tudo muito colorido e muitas frutas. O outono já chegou junto com chuva e vento frio, o trigo já foi colhido e agora é só terra que estão começando a plantar grama mas o mais lindo de tudo: as árvores estão começando a ter uma cor alaranjada, como vemos em filmes. Tudo está ganhando essa cor meio laranja, vermelho e marrom, lindo! Por mais que esteja achando um saco esse vento cortando na minha cara estou gostando da estação, é tudo muito diferente para mim e é uma delícia ver como o tempo muda por aqui, como o tempo muda junto comigo =)
Minha vida? O que eu tinha medo aconteceu, cai na rotina, nada de mais para contar, está tudo bem, mas nada de extraordinário, não vou viajar esse fim de semana, não vou fazer nada, estou até com medo do meu humor. A coisa mais animada que se aproxima é só lá pelo dia 10 de outubro, um feriado de uma semana que eu vou para Aalborg visitar a Jel e ainda estou decidindo o que vou fazer depois, espero do fundo do meu coração ir para Copenhagen, vamos ver no que vai dar...
Ah, comeentário aleatório, chutei a mesa do jantar e dês de ontem está doendo pra c#$%!&*, acho que torci, affe.
Então é só: rotina na Dinamarca =/

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Copenhagen 2 e vida lenta


Enrolei horrores pra voltar a postar né? Mas ando em um desânimo sem igual há umas duas semanas, não sei porque, mas sábado e domingo foram os piores.
Mas antes de contar como foi o sábado em Cope e contar como estou tenho que falar duas coisas que tinha esquecido.
Eu andava matando muita aula de ballet por motivos variados e tinha um professor que nunca tinha visto e todo mundo falava nele, um tal de Rílio (todo mundo falava assim). Em Copenhagen estava me arrumando pra aula e chega um cara alto de cabelo comprido falando em português: "Você que é Luiza de Bh?" Descobri que Rílio era Hélio e que ele também era de Bh e conhece a Maria Clara! Mundo pequeno não?
Mais tarde vejo a namorada do menino gato da minha sala (não vou escrever o nome dele porque ele está ao meu lado nesse momento) com um saquinho com um monte de camisinhas desenhadas. Beleza, a menina é prevenida, mas precisa ficar andando com isso na mão? Coloca na bolsa, bolso, mala sei lá. Mas aí uma amiga falou que ela tinha ido em um sex shop, eu não acreditei, ai ela pediu para olhar o que tinha lá dentro e quando fui ver era um vibrador!!!! Hahahaha e a menina exibindo aquilo no maior orgulho! Ah vá pastar....
Tá, voltando a narrativa. Depois que escrevi aqui encontrei com a May na estação e fomos andando até o parque. Lá vimos Carol, Adrielle, Maria e Paulo. Ficamos conversando depois fomos passear pelas lojas, depois voltamos para o parque e elas me levaram na estação para comer cachorro quente e pegar o trem. Fio muito gostoso passar esse tempinho com elas, os brasileiros sempre me animam.
Peguei o trem para casa, nada de mais, mas dessa vez teria que pegar o ônibus até Svendborg e quando cheguei no ponto ví que tinha que esperar mais de meia hora. Estava escurecendo, estava bem frio e eu estava sozinha. Comecei a chorar, chorei lagos, mas não sabia ao certo porque, só sabia que não estava bem, estava meio perdida. O sábado a noite e o domingo passei nessa deprê sem igual e só melhorei um pouquinho quando conversei com meus pais no Skype, mas logo que desliguei senti um vazio sem igual.
O humor melhorou um pouquinho quando fui ontem para aula de dinamarquês. Encontrei com Leita e Brennan e eles são realmente uns amores comigo e sinto que eles gostam de mim de verdade, nem sei porque...
E o humor melhorou 100% quando fui a minha primeira aula do Hélio. Foi uma aula bem difícil e desafiadora e ele é uma gracinha, gostei de verdade. E ballet sempre melhora meu humor né.
Hoje cheguei, como de costume, mais de meia hora antes da aula e lá estava eu caminhando para sala passar um pouco de frio até que abrisse. No caminho encontrei a Maya e Julie, minha sorte! Elas vieram me falar que a primeira aula tinha sido cancelada! Se eu não tivesse encontrado com elas ia ficar lá congelando sem saber o que estava acontecendo. Fui para o café e depois para o quarto da Maya. Agora estou na aula de estudos sociais congelando um pouquinho e fazendo planos para minha tão esperada semana de feriado.
Adrielle, May e eu no parque

Calsberg na sexta

No teatro

O quarto luxuoso

sábado, 19 de setembro de 2009

Copenhagen!!!

Ai, vocês vão querer me matar porque estou em Copenhagen e estou perdendo meu tempo com internet. Mas acontece que estou na estacão de trem e tive que olhar o horário do meu trem, como meu dinamarquês não ajuda acabei comprando uma hora nesse computador e como ando mão de vaca vou gastar cada segundo dessa bobagem. É bom que divido o post.
Fui para Oure na quinta e saímos em dois ônibus assistindo Step Up, amo esse filme. Chegamos ao Tivoli meio atrasadas e a coitada da May já estava me esperando há tempo. Eu não podia sair do Tivoli, mas não tinha ninguém me vigiando e a May já é expert em Cope então fui com ela passear pelas lojas, tudo um sonho, mas tive que me segurar, meu dinheiro anda sendo gasto rapidamente com minhas viagens loucas de trem.
Voltei ao Tivoli para ver a apresentacão de danca. Eu não estava nem um pouco animada porque detesto ballet moderno e a foto de divulgacão era um homem na pose mais estaranha todo maqueado e de vestido, mas fui né, de graca...Me surpreendi, o elenco era quase só de negros (dois caras brancos) e eles dancavam de maaaais, foi super animado. Mas o mais engracado foi ver as meninas do meu ballet quase morrendo de amores pelos caras, acho que elas nunca viram tanto músculo e bunda em um homem, já que os meninos daqui são magrinhos magrinhos. Depois da apresentacão todas vieram me perguntar o que tinha achado, umas gracinhas.
Fui com mais 4 meninas e um menino para o hotel...eu sinceramente não sei como eles tem coragem de chamar aquilo de hotel, na verdade era um lugar para estudantes sem dinheiro. No nosso quarto tinham duas beliches, uma cama dobrável, uma TV duas cadeiras e só, espaco não tinha não. O pior é que agente dividia o banheiro com mais umas 10 pessoas! Luxo total! E não conseguimos dormir o bastante porque de manhã a cama comecou a fazer uns tec-tec-tec altos, sem parar, parecia que ia partir no meio, decidimos não arriscar ficar mais tempo naquele trambolho. Pelo menos o café era bom.
Depois fomos para a Universidade de Danca moderna assistir uma aula. Mesmo achando a aula um porre eu gostei de ver como uma faculdade de danca funciona e como as salas são lindas e enormes *.*
Depois fomos para uma outra universidade não sei de que, almocamos e tivemos aulas de ballet....contemporâneo!!! Eu amo dancar qualquer coisa, menos contemporâneo, na boa, não consigo ver danca naquilo, desculpas a quem gosta. E não gostei da aula também não, dava para perceber claramente que eu não me sentia bem alí. Todo mundo de cabelo mal preso, calca de moleton e camiseta e eu de meia calca rosinha, shortinho, collant e coque. Sem contar que elas se jogavam e eu toda clássica. Nem deu para cansar, a aula não foi além de técnicas de rolamento da posicão fetal para o derretimento em X (WTF????) e de se jogar no chão, eu estou cheia de hematomas e nós, ninguém merece. Para terminar minha imersão fomos assistir um espetáculo de contemporâneo. Nem preciso que foi maluco, eu não entendi nada e quase cai no sono, quase. No final eles realmente dancaram e vieram à frente do palco com aquela cara de pscicopata sofrido que só eles tem, desceram do palco e puxaram quatro colegas minhas. Eu já estava raxando de rir da cara de pânico delas quando o fidaégua do homem me pega também! Não queria de jeito nenhum, mas ele me puxou mesmo assim. Chegando nos bastidores ele falou umas coisas em danês e todo mundo "ok" e saiu andando. Ok uma ova! Eu não sei o que é pra fazer galera!! Agarrei a Frederike do meu lado e falei: Explica pra mim!! E ela: É só achar o foco de luz e deitar no chão.
Não é só isso não! O cara falou até babar só pra isso??
Eu nunca fico nervosa para entrar no palco, mas dessa vez meu coracão estava quase pulando pela boca. Até que o cara falou: VAI!! eu achei o primeiro foco de luz e lá fiquei deitada, vai entender... No final o cara foi lá e falou, pode levantar, fomos para frente do palco e agradecemos junto com os outros dancarinos.
Depois da apresentacão ligo meu celular e vejo: Hey, what's going on? Jake, claro.
Como ainda estava na euforia do momento falei:
-Ai meu deus! Eu estava assistindo a essa performance quando o cara simplesmente me puxou para o palco!!
-Hahaha ele te achou bonita
-Não, provavelmente porque eu estava quase dormindo
E ele respondeu, em português:
-Não, porque você é linda
ooooounnnn
-Finalmente aprendeu um bom português! Como?
-Eu tenho trabalhado nisso.
-Hahaha, ok, tradutor.
-Não, eu realmente aprendí. Eu te disse que você significa muito pra mim.
Ele me faz sentir a pior pessoa do mundo. Mesmo eu não querendo nada com ele, mesmo eu não dando atencão ele ainda é uma gracinha. Alguém quer adotar um americano? Porque eu não dou conta...
Depois fui para casa da Maya, uma colega de escola dormir.
Agora acabo de chegar de três horas de caminhada por Copenhagen de mochila nas costas e mala na mão tentando achar a estacão. Achei sem problemas =D
Vou almocar e esperar a May para ir ao parque.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Acho que nem vou mais desfazer minha mochila...

Já vou viajar de novo!! Sim, e dessa vez para Copenhagen! E quer saber da melhor? DE GRAÇA =D hahahha
Estou indo com o pessoal do Oure porque está tendo um festival de dança lá, eles estão me pagando transporte para ir e dentro da cidade, as entradas, o hotel e comida! Poxa vida né?
Hoje vamos chegar lá e ficar passeando pelo Tivoli que dizem que é uma gracinha e a May vai ir me ver *.*, o colombiano diz que vai também, mas na boa, espero que não =s Depois tem apresentação de ballet e vamos ter um bate-papo com o coreógrafo, coisa que eu não estou nem um pouco afim de ir porque é em danês. No dia seguinte vamos ter algumas aulas e workshops e vamos passear pela cidade. De noite não sei ao certo, mas deveriamos todos voltar para Oure e chegar lá por volta de meia noite. Bom, esses eram meus planos...até ontem! Agontece que uma menina da minha sala, a Maya, me convidou para passar a noite de sesta para domingo na casa dela, eu, lógico aceitei! Sabe-se lá Deus quando eu volta a Copenhagen, ainda mais com metade da viagem paga!! Por mim eu ficava o final de semana todo, mas quase não fico com minha família e eles são tão gracinha que volto no sábado de noite. Mau posso esperar!
Então, vou arrumar a mala, ou renovar né, porque minha mochila de Silkeborg ainda está feita, mas antes quero agradecer MUITO vocês por todo apoio que tem me dado, tanto meus amigos, familiares quanto aqueles que vem aqui porque gostam mesmo ou sei lá porque =p Tenho 65 seguidores, no começo dessa aventura tinha quase vinte a menos. Não recebo tantos comentarios quanto na época que ia visitando todos os blogs que gostava, mas sem dúvida esses comentários de agora são muito mais especiais e verdadeiros! Obrigada pelo apoio, pelas palavras de carinho, pela compreenção e pelo seu tempo. Ontem tomei um susto quando fui no meu contador diário e tinha 40 visitas! 40 vezes alguém se deu o trabalho de vir aqui dar uma olhada nas minhas bobagens...obrigada de verdade, vocês me fazem continuar.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Descobrindo amigos


Dês de domingo não ando muito bem, não queria falar aqui para não chatear vocês com minhas lamúrias, mas estava me sentindo muito sozinha.
Acontece que não tem nenhum intercambista morando perto de mim, meu distrito é uma droga porque é o único que não vai ter a reunião onde todos se encontram, eu não conheço ninguém na minha cidade porque eu não estudo lá e eu vou muito pouco pra escola. As únicas pessoas que converso são pela internet. Algumas meninas brasileiras que posso dizer que são minhas melhores amigas aqui, mas moram longe, minhas melhores amigas no Brasil e uns meninos intercambistas, mas eles só querem ficar comigo, não são amigos mesmo.
Fui caçar ler o caderno que meus amigos e familiares fizeram para mim e chorei lagos, me perguntava por que raios eu escolhi ficar longe da minha antiga vida que era tão boa para começar tudo de novo?
Mas mais uma vez o pessoal de Oure me salvou e mesmo eu indo pouco nas aulas, mesmo eu não morando na escola, eu posso dizer que eles são meus amigos.
Eu não tenho intercambistas perto de mim, mas tenho um colega que sente minha falta e me manda mensagem quando não estou na aula, tenho uma amiga que posso contar tudo, que ela me conta tudo e estamos sempre juntas, tenho um amigo que só fala em inglês, mesmo quando não estou na conversa para eu não me sentir tão perdida, tenho um amigo que me traz chocolate, muitos colegas que me ajudam para qualquer coisa que eu precisar e uma colega super tímida que me mandou a mensagem mais fofa: Obrigada pela amizade, sinto sua falta quando você não vem.
Preciso mais que isso? Eu fui a nove aulas, nove aulas contadas e já tenho amigos? Em um país europeu? É muito, é mais do que poderia querer.
Claro que as vezes sobro, que muitas vezes boio, mas são pequenas demonstrações de carinho que me deixam melhor.
Fiquei muito contente porque ontem descobri mais um amigo de verdade.
Jake entrou no msn e ele estava meio grosso comigo, respondendo só yes, no, ok. Ai falei com ele que estava muito brava que nosso distrito não ia ter o encontro e ele falou "que importa? Você iria só ver um amigo mesmo". Ai fiquei chateada, falei com ele que me importava muito com ele, que eu gostava muito dele, mesmo só como amigo e que ele me deixava muito triste porque ele só queria me beijar ou o que for, e se não pudesse ter isso não poderiamos nem conversar.
Escrevi isso e fui tomar chá. Quando voltei vi:
"luiza y do u think im so upset about this its because i do care for and a lot i dont even no how i care so much about u and i dont no y but im not gunna question it cause i like it but u just wana b friends and it hurts wen u say that but ur right it has to b that way but only a small chance could we b more so ya i do care for u and alot"
Pra quem não entendeu, porque além de inglês ele variou um monte e não colocou pontuação, lá vai:
"Luiza, porque você acha que estou tão chateado com isso? É porque, sim, eu me importo e muito. Eu nem sei como me importo tanto com você e não sei porque, mas não vou questionar isso porque eu gosto, mas você só quer ser amiga e isso machuca quando você diz, mas você está certa, tem que ser assim mas só uma pequena chance ser mais que isso, então sim, eu me importo, e muito."
Fofo de mais. Ai perguntei a ele se ele achava melhor agente não conversar para ele não se machucar e ele respondeu:
-Não, eu nunca pararia de falar com você, e se eu me machucar é minha culpa.
Eu sempre o zuei, chamei de criança, de meu menino de brinquedo, mas dessa vez ele foi mais maduro que nunca e eu o respeito.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

147 metros de puro orgulho


Aff, vou começar esse post pela quarta vez, não estou brincando! É que toda vez que eu ligo o computador o msn bomba, depois conto.
Esse final de semana fui para uma viagem com meus avós comemorar o aniversário do meu host avô. Sim, o mesmo das oito horas de comilança, o mesmo do restaurante. Ou esse povo gosta de um aniversário ou já se passaram três anos e eu não percebi! Hahahahah
Fomos para uma cidade chamada Silkeborg, um pouco maior que Svendborg.
Ficamos em um Hotel e eu e Christina ficamos no mesmo qarto, o que foi muito bom porque descobri uma parceirona e descobri que ela não é tão paradinha quanto eu pensava hahahah
Na sexta só deu tempo de jantar, porque os jantares aqui demoram horrores. Coquetel de camarão de entrada, galinha com legumes de principal e sorvete de sobremesa, hmmm, porque engordo? E mais uma vez ficaram todos falando como eu como de tudo e blablá.
No sábado fomos para o centro fazer compras, eu na verdade só fui olhar porque quase chorei com o preço das coisas! Um lenço, um lencinho de pescoço, quase cem reais! Uma bota simplérrima mais de quinhentos reais, uma facada. Na boa, eu furo minha bota mas não pago esse preço (que aliás, já etá acontecendo).
Mais tarde fomos almoçar. Acho que dessa vez eles esqueceram que eu não entendo bulhufas de danês e me deram o cardápio pra escolher. A única coisa que entendi foi Sild, é o nome do peixe melequento. Pedi, era o mais garantido.
Me chegam três travessas, uma com peixe melequento normal, outro vermelho e outra com o molho amarelo. Caramba, não quero mais ver aquele raio de peixe nunca mais!! Pra minha agradável surpresa o vermelho tinha canela, ou algo bem parecido com, e eu normalmente como quatro pedaços de Sild com alface e pão. Bom, tinham DOZE pedaços, pouco pão e pouco alface, mas tinha que seguir a regra da família né? Nunca deixar comida no prato. Já estava arrotando peixe no final, eca.
Depois fomos para o momento tão esperado, a montanha mais alta da Dinamarca. Na boa, aquilo era um morrinho vagabundo, a subida do beco do Calvário da escolinha Serelepe exigia mais de mim do que a escalada da tal montanha. 147 metros galera, o ponto mais alto desse país. A graça é que eles ainda fizeram uma torre no topo pra parecer mais alto e tem que pagar 7,50 coroas pra entrar! Mas mesmo assim a vista era linda.
Mais tarde meu host pai chega com: “Luiza, comprei uma lembrança pra você!” Quando eu olho, adivinhem o que era? UMA BENGALA, sim uma bengala, com meu nome ainda! Não entendi a piada ou o carinho do presente, mas ia fazer melhor uso de um chaveiro e não ia ocupar tanto espaço.
Fizemos uns passeios e voltamos ao carro para tomar chá com chocolate, hmmm.
Eu brinco, mas esse episódio me fez perceber algo. A Dinamarca pode não ter uma grande montanha ou grandes belezas naturais, mas o respeito e o orgulho pelo o que eles têm é sem igual. Aquilo não passava de um morrinho, mas ainda assim estava cheio de turistas, super bem cuidado. Você não via um papel no chão, uma placa pixada, uma árvore cortada e o orgulho de ter algo tão belo no país tomava conta do lugar.
No Brasil temos coisas muito mais belas e grandiosas, mas mesmo assim depredamos, destruimos, tudo que há de belo sem nos importar. Falta orgulho pelo que temos, falta respeito, e isso os daneses tem me ensinado: a valorizar e respeitar as maravilhas do meu país.
Depois jantar. Mais comida boa, mais banha.
No domingo fomos a um museu de arte moderna, muitas coisas loucas, nem preciso dizer, mas eu gostei muito. Depois fomos a um museu de fotografia. Nossa, juro, minha vontade era de vomitar. Começou tudo beleza com umas fotos de coisas refletidas na água, mas depois veio uma placa "Strange Days" e aí vieram umas fotos que nem vou colocar aqui pro Blogger não fechar meu blog por divulgar pornografia. A primeira sala tinha um leitão morto todo aberto com algumas fotos estranhas de animais. A sala seguinte era uma mistura de fetiches idosos com "Jogos Mortais". A primeira foto era enorme, de um velho em um nú frontal cheio de agulhas pelo corpo, por TODO o corpo. As salas seguintes variavam entre fotos de velhos completamente nús em poses bizarras e partes do corpo não identificadas em pedaços. NOJO! Não consegui ficar muito tempo por lá, ew ew ew.
Despois do trauma almoçamos e voltamos para casa.
Chegando aqui começou a confusão. Aparentemente Jake havia me ligado o final de semana todo, mas meu celular estava com pouca bateria, então estava evitando deixar ligado. Chegando aqui entrei no msn e ele já veio jogando bomba. Tivemos um início de DR normal, mas logo veio o argentino e o colombiano falarem comigo. Esse argentino dês do Introcamp me liga sempre, me manda mensagem todo dia e fica de mi amor pra ca, mi vida pra lá, sos tan dulce acolá. Eu gosto dele, ele é fofinho, mas como amigo e só. Sei que ele é meio safado, e desse tipo passo longe, e argentino então :p O colombiano começou a me mascar de mais, até eu que sou lerda via que estava na cara. Falava que queria conhecer o jeito brasileiro, que só estava esperando Jake sair de perto para ele chegar, que achava minha boca linda e não via a hora de me ver de novo para “prova-la”, brega e nojento. Eu dei uma de idiota o tempo todo e não dei corda porque sempre me lasco. Mas me lasquei mesmo assim. Acho que o argentino e o colombiano estavam conversando e o Lucas(arg) ficou louco, falou que eu era muito doce com ele mas era com todos, que eles estava apaixonado por mim mas eu não, que eu iludia a todos. Pausa pra reflexão. Eu não falo espanhol, ele não fala inglês, como essa criatura se apaixona por mim???? Ok, ele ficou puto e me bloqueou. Depois o Sebastian (colomb) veio me perguntar se eu tinha algo com o Lucas. Ele disse que estava a fim de mim, mas se eu estivesse com o Lucas ele não poderia fazer nada, ficou puto e saiu. No meio dessa história Jake ficou em terceiro plano coitado e acho que ele meio que entendeu que não rolava mais com agente.
Eu fiquei muito chateada com essa história, eles me entenderam master mal, eu quero só amizade e eles não sei como se envolveram tanto. Achava que nunca mais ia trocar uma palavra se quer com cada um deles.
Hoje é aniversário do Jake, mandei uma mensagem, ele respondeu falando que me devia desculpas por ser um idiota. Sebastian veio conversar normalmente. Lucas se desculpou por ser tão ciumento xD

Museu doidinho 1

Topo do topo

Entrei no clima das esquesitisses

A vista

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Eles dizem que não é para eu me preocupar, mas eu me sinto responsável por você!

Foi assim que o professor de Religião começou o meu dia mais estranho em Oure.
Ele veio me falar que vai me dar os textos em português e sempre depois das aulas vai me situar do que está rolando. Pô, achei uma gracinha, mas se nem no Brasil eu me intereço por aula de Religião, quem disse que na Dinamarca, quando eu não tenho que fazer prova nem nada, eu foi procuras saber? Vixi...
Logo em seguida era aula de Biologia, e quando eu já estavca preparando meu laptop para conversar no msn a professora me entrega uma super folha de exercícios.
Olha pra ela com a cara de: que porra é isso?
-É para você fazer também, vou traduzir tudo para o inglês e você explica em inglês para mim.
Ah falou, eu não sei explicar isso nem em português colaga, quanto mais em inglês.
Só vi meu colega do outro lado da sala quanse caindo da cadeira de tanto rir. Ele leus meus pensamentos:
-Logo você que estava tão feliz sem fazer nada...
Nem me fale.
Depois aula de história antiga, oee, não consigo parar de rir desse nome.
O professor já veio com um texto prontinho em onglês para mim. O texto era daqueles da Grécia antiga que um cabeção de pedra escreveu há anos antes de Cristo. Eu não sei quanto a vocês, mas eu nunca entendi patavinas desses textos, em inglês então. Mais uma vez Daniel olhou para mim e disse:
-Era tudo que você queria né?
Oh se era...
Depois aula de espanhol, essa eu sempre tenho que fazer alguma coisa, nem que seja ensinar pronúncia pro meus colegas. Pra minha alegria temporária eles tinha que traduzir um texto do dinamarquês para o espanhol e eu pensei que finalmente ia boiar em paz, mas logo ela vem com uma apostila enorme de exercícios pra eu fazer. Fala sério, pra que tudo isso.
Acho que o pessoal do Oure não sacou que não sou uma estudante normal. É muita gracinha da parte deles, mas affe, esse é meu ano de férias né? Então quando vocês estiverem lá, ralando na escola, me imaginem traduzindo uma folha enorme em dinamarquês e depois explicando, tudo isso que vocês quebram a cabeça para entender, em inglês.

Mais um final de semana fora, eba!! Desaa vez vai ser bombante xD Vou para o ponto mais alto da Dinamarca quase 200 METROS! UOOOOOOOOUUU hahahaha, quando minha família falou isso quase chorei de rir. Mas mesmo assim estou doida para vez como são essas "montanhas do paraíso" (é é, esse nome mesmo). Vi ses i Søndag!! (deu pra sacar?)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Um mês e 7 dias

Passou rápido? Pra mim não, ainda bem. 5 semanas não é muita coisa, essa rotina já me parece tão normal, já me acostumei tanto com esses rostos, já fiz tanta coisa, já mudei tanto, que parece ser bem mais.
Sim, eu mudei muito, mudei em um mês o que não mudaria em anos. Não sou mais aquela menina tímida que nunca fala com os outros e quando alguém vem conversar quase morre de tanta vergonha. A timidez ainda está comigo, mas aprendi a correr atrás do que quero e se o que eu quero é conhecer pessoas eu vou dar o primeiro passo, mesmo com vergonha, mesmo com assunto tosco, mesmo com inglês capenga. Aprendi que não posso esperar que ninguém faça nada por mim, muito menos esperar que uma super oportunidade caia do céu, sou eu quem tenho o poder de transformar meus desejos em realidade. Descobri que nada é ruim de mais que não se possa rir da situação ou bom de mais que não deva se despreocupar. Falo mais palavrão, fiquei um pouco menos criteriosa com garotos, estou dormindo menos, fala sério nem tudo tem só lado bom né? Mas logo resolvo isso. Aprendi dinamarquês, o espanhol melhorou e o inglês piorou
O máximo que já fiquei longe de casa foi quando fiquei um mês no Canadá. Ao contrário de lá eu não engordei nada, tirei menos fotos, conheci muito mais gente, aprendi muito mais, cresci muito mais. O Canadá foi turismo, aqui é vida! Minha nova vida!
...................................................................................................................
Então, depois de muito tempo voltei a Oure pra valer.
Fui a cinco aulas e matei três semanas, puts né? E semana passada eles fizeram uma excursão para França que infelizmente não pude ir, daí já estava imaginando que todos iriam voltar super amigos e esquecer de mim. Me enganei!
Voltei e todo mundo falou: Bem vinda de volta! Daniel me deu uma barra de chocolate bom de mais, os professores lembraram do meu nome e todo vinha perguntar como eu estava, como tinha sido as aulas, o camp e agora eles só falam em inglês dinamarquês, tipo, falam inglês mas com algumas palavras em dinamarquês para eu ir pegando e nunca sobro nas conversas. Eles vivem me perguntando como eles podem me ajudar a aprender. Fiquei muito feliz com tanta fofura.
Hoje a tarde depois da aula tive que esperar uma hora em Svendoborg para pegar o ônibus para meu vilarejo. Resolvi passear pela cidade e saquei a barra de chocolate da minha bolsa e fui comendo. Quando estava naquela hora em que a mão fica toda lambusada e seus dentes também (principalmente quando é um chocolate deliciosamente cremoso, hum...) sabe que eu vejo? Mathias! Muito tempo que não falo no dito cujo né? E claro com a namorada toda linda e estilosa, cabelos ao vento, magérrima. Eu eu toda descabelada. Ele passou me deu aquele sorriso e disse Hi, eu tava com a boca cheia de chocolate e a mão também, só imaginem como foi sexy esse encontro.
Na volta do shopping eu saquei um tomate da minha bolsa, sim, um tomate, minha host mãe é meia louca mesmo, e fui comendo pela rua a fora, e quem vejo? Os dois de novo! Só sei que eu e a namorada fizemos a mesma cara de: porra, é perseguição! Ele fez a carinha de sempre e disse Hi.
Aiai...

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Viborg, ô looooco!

Gente, já vou avisando, se esse post sair uma droga é porque estou bêbada, parte de sono e parte por osmose, parte nenhuma por ter bebido álcool de verdade. Acho que agora é só sono mesmo, credo...
A aventura já começou na sexta de manhã e quase me fez desanimar. Estava uma ventania sem noção eu eu estava com uma mochila enoooorme nas costas, não sou nada leve, mesmo assim o vento estava quase me levando e como a mochila não contribuía nada para meu equilíbrio eu cai fácil inúmeras vezes. Só me restava rir do papel ridículo que eu estava fazendo ali e me imaginar quase dentro de um filme do Mr Bin. O vento daqui é muito frio e não foi nada simpático esperar o ônibus que atrasou. Fui ao banco e deu tudo certo com meu cartão.
Peguei o trem para Odense, depois Åhus e Viborg. No trem para Åhus deu um problema no sistema que ficamos quase meia hora parados, eu tinha um outro trem depois desse e claro acabei perdendo e acabei tendo que ficar uma hora esperando pra pegar o próximo trem, uma maravilha.
Cheguei na casa do tal jogador, Alex e vi a Naty, a Ana, o Michel e a Jel, que já conhecia e tinham dois oldies, a Lívia e o Vitor (quem organizou tudo). Segundo eles ia ter bem mais gente mas os respectivos host parents embaçaram. Também, o que um bando de adolescente ia fazer na casa de um cara mais velho que não conhecem?
Eu não estava com as melhores expectativas, mas foi tudo muito diferente do que imaginava, e muito bom.
Conversei bastante com a oldie que além de ser master legal, contou altas coisas e deu altas dicas. Ai começou o churrasco. MEEEEUU, churrasco!! Que saudade! Tinha até pão de alho. Comi horrores. Depois o Vitor e o Alex começaram a tocar pagode. Eu não gosto de pagode, é um dos únicos estilos musicais que não me agradam, mas sei lá, tava tudo tão gostoso, tava um clima tão Brasil que acabei dançando e cantando até bem tarde. Mais tarde Michel foi o primeiro a dormir, pintamos as unhas do pobre coitado e o nariz dele de esmalte cintilante, uma graça.
Depois disso cada um foi caçando seu rumo para dormir e por fim sobramos eu, Ana e Alex, ficamos conversando e ouvindo música até 4:30 da manhã, até que eu não aguentei e fui dormir, a Ana continuou, firme e forte. A "noite" foi uma confusão, fiquei trocando entre dormir na sala e no quarto. Na sala estava o Michel apagadão roncando horrores e no quarto tinham três pessoas na mesma cama. Eu não estava afim de dormir com barulho de ronco, mas odeio dormir na mesma cama que alguém(eu sei, vou ter problemas quando casar), sei lá porque, mas gosto de sentir que aquele espaço é só meu e que não vou incomodar nem ser incomodada. A Ana também ficou nessa confusão, mas ela dormiu ainda menos que eu. Por fim ela ficou no quarto e eu na sala. Não consegui dormir nem três horas completas porque logo cedo Vitor, Alex e Michel já estavam na sala na maior farra. Como não tinha outro jeito, acordei, mas Alex falou para ir pro quarto dele. A Ana estava lá e como tínhamos umas coisas para conversar tive que acordar de vez. Por fim o resto das meninas foram acordando e ficamos conversando.
A Lívia teve que ir embora e o churrasco recomeçou. A Jel fez um arroz mara a-la-brasileira e nosso almoço de arroz, carne e pão de alho, ficou com o melhor gostinho de casa.
Depois o Alex teve jogo e Michel foi junto. A Naty e o Vitor dormiram e eu e o resto ficamos atoa. Quando Naty acordou fomos procurar um super-mercado porque estavamos com uma fome do cão e sabíamos que mais tarde a vontade de chocolate ia vir.
Como sempre, estava um vento frio da cadela. Caminhamos muito com pouca ideia de onde era o tal mercado divididas entre pensar que estávamos perdidas ou se o lugar existia mesmo.
Por fim, e depois de muito tempo, achamos, mas adivinhem? Estava fechado! O jeito foi rir e tirar fotos pelo caminho.
Na volta vimos uma casa que estava com uma mesona posta e como a fome estava pegando, as meninas começaram a matutar como pegar um pouco. Até história de escoteiras vendendo biscoitinhos rolou. Mas por fim voltamos para casa sem nada.
Alex chegou do jogo e nos salvou com uma pizza. Não sei se era a foma, mas estava boa de mais!
Ficamos na sala conversando e escutando música, por mais que estivesse muito bom achava que não ia ser tão animado como na noite anterior, o que nem ia ser ruim porque estava com sono e tinha que acordar as nove do dia seguinte para arrumar minhas coisas e pegar o trem que nem passagem eu tinha ainda, ai se eu dormisse mais cedo ia ser uma boa coisa.
Mas quase onze da noite chegou um outro amigo do Alex, também jogador brasileiro com mais quatro dinamarqueses (um menino e três meninas). Uma das meninas trouxe chocolate pra gente, uma fofa. Cantamos e conversamos um pouco e o menino e duas meninas foram embora.
Quase as duas da manhã o pessoal resolveu do nada ir a uma boate. Eu tenho 17 anos, mas eles disseram que o lugar ela tranquilo e ah, esse é meu ano né? Vou fazer tudo que tiver com vontade,mas sem esquecer meus valores, e ahhhh como eu queria dançar!
Eu não tinha levado nenhuma roupa para sair, ninguém tinha, quase fizemos um milagre com o que tínhamos na nossa malinha de final-de-semana-no-pagode.
Daí Naty disse a frase da noite: Não importa onde estamos indo, eu quero é dançar!
Não fomos na boate mais badalada da cidade, aliás onde fomos nem era uma boate, era um PUB(estava na placa pelo menos) e não estava lá super bem frequentada por gatos, tinha um pessoal mais velho(mais velho é chegando aos trinta tá? Fui a nenhum bingo não) e uns poucos gatos, mas não se sabia se eles eram gays ou moles mesmo.
Dançamos muito, rimos muito, no divertimos muito. Valeu a pena lutar contra o sono pra sair, porque chegando lá tudo sumiu! As músicas eram bem diferentes das que escutamos no Brasil, claro, mas eles tem bastante música dinamarquesa e umas músicas americanas que eles dançam em pares, mas não é lento...ahhh não sei explicar.
Diferente também é o jeito que os caras chegam. Eles ficam olhando muito tempo para você e se você retribuir eles vem te tirar para dançar(coisa mais antiga mas vá) alguns nem esperavam a troca de olhares e vinham chamar, mas com um jeito retardado de mais, nada de charme. Muitas das vezes era só para dançar mesmo, nada além. E por sorte não era a dança putaria como no introcamp, era no máximo de mão dada e caaara eles dançam de um jeito muito engraçado! Não existe essa coisa de passinho pra cá passinho para lá não! Eles dançam com o corpo todo, cada um ao seu modo e ninguém critica, por mais estranho que seja, e acreditem, É MUITO ESTRANHO, mas gostei muito porque dava para ver que eles dançavam porque estavam realmente se divertindo, não para se mostrar ou o que for. Quando alguns caras toscos vinha pedir para dançar agente ia e ria lagos imitando o jeito danês de balanças as cadeiras, giriaveiaoe!
No final estávamos bem cansadas e fomos comprar uma pizza, antes de decidir qual queriamos começou a toca "Rap das Armas" no Pub, como assim? Funk na Dk? Lá fomos nós brasileiros loucos ensinar como se faz hahahah. Por fim ficamos lá até o segurança expulsar agente xP
Como éramos muitos tivemos que pegar dois taxis e eu fiquei no segundo, chegamos um pouco depois e já estava amanhecendo, quase seis da manhã.
Achava que quando chegasse todos já estariam dormindo há tempos, me enganei, cheguei e estava tomo mundo na sala, fazendo churrasco, conversando e preparando o samba. Como assim? Gente, por acaso vocês se lembram que vocês não dormiram nada essa noite?
Mas a Ana falou uma coisa certa, se eu dormisse eu ia acordar muito mal, eu sou daquele tipo de pessoa que precisa dormir muuuuuito para resolver, se não eu fico ainda mais lerda. Sem contar que faltavam tres horas para o horário que tinha que acordar já que tinha que arrumar minhas coisa e comprar a passagem.
A Naty e a Jel não aguentaram e foram dormir, os meninos ficaram no churrasco e eu e Ana conversando. Na boa, parecíamos duas bêbadas sem mãe, acho que tínhamos ficado tontas por osmose ou coisa assim. Agente ria de cada bobeira e ria um milhão de vezes da mesma história que, I'm sorry, mas não posso contar aqui.
Dei uns cochilos curtinhos que juntos deram uns 30 minutos, mas passei a maior parte do tempo conversando e rindo muito das bobeiras do pessoal.
Como tudo que é bom acaba rápido, já estava na nossa hora de ir. Ninguém queria que fossemos tão cedo mas eu tinha muito chão para correr.
A volta foi tranquila, só tive que lutar contra o sono para não dormir no ponto e parar do outro lado do país.

ps:lembra do cara gracinha da minha sala? não posso escrever o nome dele mais porque de alguma maneira ELE ACHOU MEU BLOG!! Anyaway, me mandou uma mensagem perguntando quando vou voltar para Oure e quando escrevi um "I need chocolate"no facebool ( e preciso mesmo, estou naqueles dias) ele disse que vai levar pra mim =)
ps2: Jake me mandou mensagem e me ligou o fim de semana inteiro e quase morreu quando soube que virei a noite
ps3: Acabo de receber três mensagens seguidas de pessoas diferentes, sente só:
T: Boa noite bebê, durma bem. Saudades linda
J: Night, night my pretty brazilian. I really miss you, may I visit you in your town?
L:Buenas noches divina. Buen sueños
Não estou brincando! Mas desculpem-me não posso dar mais detalher hahahaha
ps4: Post enorme, empolguei

Arrumadas pra sair, Jel, Naty, a dinamarquesa fofa, eu e Ana

No Pub

O passei no vento frio rendeu fotos fofas

O churrasco

O pagode

O samba

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Viborg! Woop woop!

Então gente vou abandonar isso mais uma vez, mas não deem pulos de alegria! Logo no domingo chego com notícias de Viborg.
Eu sinceramente estou me achando uma louca de ir, afinal, não conheço o tal do jogador de futebol que vai nos hospedar, não conheço o oldie que está organizando e não tenho muita noção do que vai rolar. Só vou porque a Jel está indo e que o povo mais quietinho vai também. Espero que compense.
Meu trem sai as 13:30, mas acordei as 8:00 por conta do tanto de coisa que tenho para fazer. Tenho que arrumar minhas roupas(só uma mochila, nada de mala), tenho que passar aspirador no quarto (yey) e ainda tenho que ir no banco porque a anta aqui fez o favor de jogar a carta que veio com o cartão no lixo e logo a carta que tinha o número para ativar meu cartão. Meus hosts me disseram que tenho que fazer outro, maravilha!
Mas o que está pegando mesmo é a ventania lá fora, o outono chegou! Está ventando muuuuuuuuito, as árvores estão até envergando. Vai ser uma maravilha andar de bicicleta com esse tempo ein?
Então é isso gente, torçam para que Viborg bombe e para que eu volte com muitas novidades para contar!

Ps: Mudei a cara do blog viram? Eu não gostei muito não mas estava meio de saco cheio do outro templayte.Agora, para quem sempre pergunta, os comentário estão no final da postagem, para quem não tem blog selecione a opção Nome/URL
Ps2: Jake acaba de me mandar uma mensagem: Saudades de falar com vocÊ, pelo jeito vocÊ seguiu em frente, mas eu não consigo te tirar da cabeça.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Introcamp, o fim e o depois

Passei a noite no quarto da Jel chorando minhas pitangas pelo Jake, não estava afim de continuar, mas nÃo aguentaria ver ele tão chateado comigo, sabe como é, sempre fui coração mole. Até que ela me deu uma saculejada:
-Acorda menina, é seu ano, você não deveria estar se preocupando com nada, ainda mais com um bebezão como ele! Ainda mais porque você nunca mais vai ver na vida boa parte dessas pessoas aqui. Quer saber? Não vou me preocupar com esse assunto, você faz o que vocÊ quiser que eu não perco meu tempo.
Ele estava mais que certa. Estou aqui para curtir, sem preocupação nenhuma! Se não foi como queria passo pra outra porque o tempo ruge.
No dia seguinte acordei sem nem pensar nisso e logo de manhã encontro com ele. Passou direto por mim, nem liguei. Mais tarde ele e os amigos passam por mim mais uma vez e todos, menos Jake dizem: Good morning Luiza!
Eu respondi, Jake nada.
Não estava nem ai.
Veio a aula de dinamarquês, a última aula com o professor que estava a cada dia mais charmoso, simpático, bonito...ai pecado. Mesmo as aulas enormes sendo um mártire diário sabia que ia sentir falta daquilo, não (só) do professor gatão, mas de tudo (menos da mexicana tagarela), de ver aquelas pessoas de todas as partes do mundo com uma pronúncia pior que a outra, de escutar as perguntas loucas da outra mexicana,de tomar milhões de chícaras de chá durante as aulas, de chingar a canadense antipática com todos os outros brasileiros berrando: Caaaaalaa boooooca sua chataaaaa!!
A última aula durou mais que o normal porque ficamos tirando fotos e ninguém estava com muita coragem de despedir do prof-mara. Por conta disso cheguei bem atrasada no refeitório e percebi que todos estavam com a camiseta do Rotary, servi meu almoço e recebi a noticia que tinha que ir na sala de reunião pegar a minha. Dexei meu prato na mesa e já ia saindo quando vi Jake. Dessa vez ele veio com a carinha de moleque de sempre e me deu um Hey como de costume. Perguntou onde estava indo e quando disse ele falou que pegaria a blusa pra mim. Achei esquisitíssimo, mas já que ele ia me poupar trabalho, tudo bem.
Ele voltou com minha blusa e já fui falando:
-Achei que você não ia falar mais comigo.
-Eu sei, mas descobri que estava sendo muito bobo.
-Então, concorda que é complicado? Que não podemos continuar juntos?
-Na verdade descobri que você é do meu distrito e que agente mora bem perto, então vou poder te ver sempre!
Fiquei sem palavras, mas por dentro eu berrava NÃÃOOOOOOO!
Antes que pudesse falar qualquer coisa, ele saiu.
Percebi que independente do que acontecesse, do que eu falasse ele ia sempre querer me ver, continuar comigo. O jeito era ser uma completa mala sem alça para ver se destruia essa imagem que ele criou de mim, de uma garota perfeita, super linda e apaixonate(ele que dizia, mas não sei de onde tirou isso).
Comecei a ser extremamente mandona, mas ele fazia tudo que eu mandava sem reclamar, comecei a conversar só em portuguÊs com minhas amigas quando ele estava perto, mas ele nem ligava. Uma vez eu o chamei de criança e ele ficou realmente chateado e saiu de perto de mim me chingando de todos os nomes, achei que estava livre, mas dali a pouco ele me traz uma maça e diz:
-Posso até ser uma criança, mas também sou cavalheiro.
Ai...
Mais tarde foi a reunião distrital e descobri que além de Jake, o meu distrito reunia a nata podre da Dinamarca. Só gente estranha! E descobri também que a mexicana tagarela é a intercambista que mora mais perto da minha casa (soooooorte). Pra salvar só tinha um chileno muito gente boa, um americano bem gato e uma brasileira muito legal. O resto era podre.
Despois tivemos um jantar bacana, primeira vez que jantamos de verdade sem parecer que estavamos de dieta, trocamos pins, tiramos fotos com todos e algumas despedidas.
Mais tarde teve uma espécie de show de talentos na sala de reunião. Não tinha lugar para todo mundo sentar e sentei no colo de um amigo, Jake quase morreu do coração e me chingou horrores, como meu objetivo era deixa-lo cada vez mais bravo comigo, nem liguei.
No "show" todos os brasileiros cantaram "Garota de Ipanema" e a fina flor da cultura brasileira: CRÉU! Cantei a primeira, mas na hora do pancadão senti tanto orgulho do que estavamos dividindo com o resto do mundo que tive que sair de vergonha.
Mais tarde colocamos nossas roupinhas de festa e fomos a bailar. A hora mais esperada. Eu simplesmente AMO dançar! Não só ballet! Qualquer porcaria que dê para balançar ao som de uma música eu amo, por isso estava doida para chegar a "festa". Dancei horrores, pagode, eletronica, hip hop, funk, musica do méxico (?).
Dancei com todo mundo e mesmo Jake exercendo seu maravilhoso papel de rabo, consegui aproveitar.
Despois ficamos conversando até bem depois do toque de recolher, era a última noite junto com aquela turma maravilhosa...
Como tudo na minha vida, parecia que só porque estava acabando, tudo estava ficando incrivelmente melhor. Eu estava conversando com bastante gente e estava mais próxima daqueles que já conversava, vai enterder.
Acordei mortinha e master atrasada pro café, tão atrasada que só coloquei uma calça e fui pro refeitório de chinelo, blusa de pijama e cabelo desgrenhado, e tão morta que quando o prof-mara passou por mim falando: godmorgen! Eu respondi: Bom dia! Em português mesmo!
Só depois do café lembrei que quase não fiquei no meu quarto durante a semana toda, que o tempo que passei lá foi para bagunça-lo e que tinha roupa espalhada por todos os cantos. Como faltava menos de uma hora para partida, eu ainda tinha que me arrumar e ainda tinha uma última reunião eu simplesmente joguei tudo na minha mala, sentei em cima e só Deus sabe como fechou. Minha mãe ia chorar se visse isso.
Fiz Jake carregar minhas malas e leva-las para o ônibus enquanto me despedia do pessoal que não ia no meu trem.
No trem da volta nem parecia que eram as mesmas pessoas que vieram fazendo aquela algazarra de uma semana atrás, todo mundo estava quieto, sentado e a cada parada era menos uma pessoa no grupo. Jake desceu um pouco antes de mim. Eu não aguentava mais ter ele sempre do meu lado, estava extremamente mau humorada e ele percebeu, finalmente.
Na hora de despedir eu disse:
-Então até outubro (será o proximo Get together)
-Não, até daqui a duas semanas.
-Como?
-É meu aniversário, lembra?
-Ah, já te disse que não estou com dinheiro para viajar assim...
-Eu sei, eu vou para sua cidade, é meu presente de aniversário para mim mesmo.
O bom é que ele me avisou antes de tomar essa decisão né?
Voltei para casa e de certa forma estava com saudades disso daqui, da minha caminha, da comida da Birgitte, do meu cobertor, do silêncio. O Introcamp foi realmente perfeito, mas acho que ninguém aguentaria mais de uma semana no pancadão não :p
O que rolou depois?
Jake não me larga, vive falando que está morrendo de saudades de mim e que está deprimito(dramasemnoção.com.dk). Tive que bloquea-lo no skype e msn e mal posso entrar no facebook que ele já vem com suas hiperatividades. Está com dó? Leva pra você.
Um argentino gatinho que mal conversei no camp me adicionou no msn, achou meu telefone não sei como e me liga, me manda mensagens e fica querendo me ver na cam, o dia inteiro. O menino me só me chama de hermosa, mi vida, mi amor. Pirou total. O pior é que ele não fala pn de inglês e eu não falo pn de espanhol.
Alguns brasileiros já marcaram um novo encontro em Viborg esse final de semana e eu já estou com passagens compradas.
Matt, Sean, Hunter e, claro, Jake me chamaram para ir para Ahus com eles dia 17, mas apesar do Matt e do Sean serem umas gracinhas eu vou para Copenhagen com o Oure no mesmo dia.
Ainda estou em contato com muita gente bacana e tenho ótimas expectativas para o proximo encontro.
Foi tudo muito bom, mas agora volto a vida normal...vida normal?? Que nada! Amanhã Viborg me aguarda!!

O argentino supostamente bonitinho com uma cara terrível de Sidney Magal

Minha classe de dinamarquês, a mexicana tagarela saiu mais cedo, só tem a plaquinha dela ai XD

Os brazucas com as jaquetas do Rotary cantando

American boys! Graças ao meu rabo sou bem amiga deles agora. O Jake tá o CÃO nessa foto. Ele não é gato como o Matt(O moreno com cara sexy, ui) mas não é feio assim não, juro.

Party everyday, pa-pa-pa-party everyday!!

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Introcamp, parte 3

Sexta feira veio e segundo a Jel "A galera brochou" sem brincadeira, o pessoal andava meio escorado pelos cantos com uma cara de preguiça do inferno, eu que não tinha feito estripulia nenhuma não estava na minha completa determinação imaginem os outros! Se tivesse aula de dinamarquês estava na cara que geral ia dormir, mas por sorte fomos a uma excursão para Ahus(tem uma bolinha nesse A mas meu teclado não tem).
Jake, como sempre, um rabo, mas dessa vez, além de rabo ele estava ciumento. Um menino não podia se quer chegar perto de mim que ele já vinha no gás para me tirar de lá, principalmente se era latino. Mas descobri uma forma de afasta-lo, arte! É que fomos visitar um museu de arte moderna e ele estava visivelmente entediado, não conseguiu ver nem dois andares do lugar. Ai ele ficava "Você vai ver tudo? O Hunter conhece a cidade e ele está te chamando para andar com agente. Ah isso é chato! Vamos? Vamos? Vamos?" Até que não aguentei: "Vaaaaaai menino! Porque você precisa de mim pra passear? Eu quero ver, se você não quer vai!" Dai ele fez a chantagem emocional de sempre mas como sempre não funcionou.
O museu era realmente muito bom, agente se divertiu horrores com as obras de arte, tudo muito criativo e moderno. Dava para passar um dia alí viajando, mas todos queriam fazer compras!!!
Nem comprei muito, só chocolate e um lenço muito fofo e encontrei com alguns oldies brasileiros(intercambistas que chegaram em Janeiro), é sempre legal encontrar com nosso "futuro" hahah
De volta ao camp tínhamos de ver um filme dinamarquês, o filme era realmente podre, mas o que estava legal era todo mundo com colchões no chão e travesseiros...foi bom.
No meio do filme Jake veio para meu lado:
-Amanhã é o último dia né.
-É sim
-O que vamos fazer?
-Sobre o que?
-Sobre agente
-Não tem nada para fazer, moramos em cidades diferentes, somos intercambistas, é complicado
-Mas...
Shiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
-Não é a melhor hora Jake, depois conversamos.
Depois do filme eu juro que queria me matar de tão ruim que era aquela porcaria, não consegui distinguir se era drama, ação ou suspense, mas na verdade me parecia um terror/comédia. Me arrependi de não ter aproveitado o clima aconchegante para dormir como boa parte fez.
Ai Jake veio para conversar comigo.
E a primeira coisa que ele disse foi:
-Quero que você seja minha namorada.
-O QUE???????????????????????
Quem me conhece pelo menos um pouco sabe que eu sou toda romântica, mas ao mesmo tempo sou um paradoxo ambulante: tenho pavor de namoro! Sempre gostei da liberdade, não porque gosto de pegar todos, mas pelo simples fato de ter menos preocupação. A ideia de ter que encontrar com a mesma pessoa todo fim de semana naquele esquema "ah, e que vamos fazer hoje?", de deixar de sair só com minhas amigas, de ter compromisso com alguém que não seja eu mesma e meus amigos, ter que gastar tempo com alguém, sempre me aterrorizou. Tenho certeza de que quando achar a pessoa certa não vou me importar com isso, mas até lá só a ideia já me mata, quanto mais no MEU ANO de intercâmbio.
A partir daí comecei a dar um milhão de argumentos contra o namoro, e toda hora eu falava:
-Mas você só me conhece a quatro dias!
-Eu sei, mas isso nunca aconteceu comigo, nunca gostei tanto de alguém, não sei como você fez isso em tão pouco tempo.
Jesus, fiquei dividida entre jogar o menino longe ou dar um abraço porque ele estava realmente chateado e fofinho.
Mas tentando ser o mais delicada possível tentei explicar para ele que éramos intercambistas e não poderíamos perder tempo com isso, ainda mais tão no inicio.
Ele simplesmente levantou e foi saindo, sem falar nada.
-EEEEEii! Onde você vai?
-Dormir, você já me machucou de mais hoje.
Fui pro quarto e não conseguia para de pensar nele, não porque gostasse dele, mas odeio ver alguém chateado, principalmente comigo.
Liguei para ele porque já estava na hora de ficar no quarto.
Vocês precisavam ver a cena hilária que se desenvolveu: eu, falando inglês pelo telefone discutindo a "relação", coisa que sempre fui péssima. Por fim ele falou:
-Já entendi o que você quer e não se preocupe, amanhã, e pelo resto do intercâmbio, não vou mais falar com você.


A farofada no filme podre

Eu, Jel, May e o argentino sem vergonha que tá rendendo história até esse instante, depois conto.

A coisa mais bacana no museu.

Amei

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Introcamp, parte 2

Seus curiosos, ia deixar vocês sem notícias por um tempinho, mas o pessoal do msn me encheu tanto o saco que tive que adiantar a narrativa, hahahahah. Se você está chegando agora não comece a ler daqui porque você não vai entender nada.
Então, veio o dia seguinte e cheguei na mesa do café da manhã e todo mundo estava com aquela de "eu sei o que você fez noite passada" e começaram: é mineirinha come quieto.
Ahhh me larga né? Eu sou a mais pura e casta e tenho que escutar isso logo pela manhã?
Anyway, Jake passou direto por mim, nem olhou na minha cara, eu não liguei, achei ridículo da parte dele, mas deixei para lá. Até que a May veio me contar que ele, no meio da noite, começou a gritar pela janela do quarto dela perguntando se eu estava por lá. Ficamos conversando no corredor e ele passou por mim com a cara mais sem graça do mundo! O colega de quarto gatíssimo dele me deu bom dia e eu respondi "good morning boys" Jake ficou toooodo tímido mas pegou na minha mão e saiu. Raxei do romance infantil.
Aula de dinamarquês, almoço e mais tarde iríamos para Viborg passear. Estávamos eu e May andando pelo corredor quando Jake e Matt(o colega de quarto) passaram pela gente, de repente eles mudaram a rota e vieram atrás da gente. A partir desse momento o Jake virou meu rabo do introcamp, sério! O menino não saía mais de trás de mim!! Ai ele veio falar que não conseguiu dormir na noite anterior pensando que eu não ia mais falar com ele, que eu deveria estar bêbada e que Matt quase o matou porque ele não calava a boca. Nha, nha, vocês já sabem, ficamos de novo.
Fomos para Viborg eu com Jel, May com Matt e Jake na frente enchendo o raio do saco, comecei a perceber que tinha ficado com um hiperativo de marca maior.
Durante todo o passeio eu, May e Jel andávamos fazendo tudo que agente tinha vontade e os rabos Jake e Matt vinham atrás, no final tava até dando dó porque agente estava vendo altas lojas de mulher e os dois com a maior cara de perdido.
No ônibus de volta eu perguntei pra ele se Matt ficaria com uma amiga minha, ele disse assim:
-Eu não sei, ele é muito tímido...é porque ele ainda é virgem sabe?
-E que que tem?
-E ele tem vergonha disso porque ele tem quase 18 anos
-Que bobeira
-Perai, você é virgem?
-Sou
Ele me olhou com cara de maior espanto do mundo, como se eu fosse uma aberração
-Pode parar com essa cara Jake, não tem nada de mais!
-É que é estranho
-Estranho nada! É diferente...aliás, nem diferente é.
-É só porque você já tem quase 18 e é linda e já ficou com caras mais velhos, não sei como...
-É porque eles me respeitavam.
Ai ele calou a boca e foi calado por um bom tempo.
De volta ao acampamento Jake não largava mais do meu pé, queria ir para tudo quanto é lugar comigo e como fui para o quarto da Jel ele veio atrás e ficou lá até a hora de sair de novo com a maior cara de idiota porque agente só ficou conversando em português, sobre ele claro, e ele não entendia necas.
Mais tarde fomos ao boliche. Minha primeira vez em um boliche de verdade, antes só tinha jogado um com uma bolinha minúscula e três pinos. Nem preciso de descrever o desastre ne? Mas foi bem divertido.
De volta ao camp Jake já me esperava, mas não estava nem um pouco afim de ficar com ele, fui pro quarto da Jel.
No dia seguinte acordei com um sono sem igual, e nem foi o dia que dormi mais tarde, não estava aguentando nada, cheguei no café da manhã sem nem saber o que estava fazendo alí. Aí Jake veio com o amiguinho louco dele, Hunter, sentar ao meu lado. Ai eu escuto:
-Ela entende inglês?
-Sim, mas se você falar bem rápido e com gíria ela não entende
Na boa, no sono que eu estava podia falar português pausadamente que eu não ia entender necas.
Só escutei ele falando minha idade, depois Hunter perguntou se agente já tinha transado, Jake disse que não e depois falou que eu era virgem, Hunter olhou pra mim com a maior cara de espanto. Eu fiquei muito brava com essa infantilidade.
Sai da mesa e fui pro quarto da Jel dormir porque as aulas só começariam mais tarde naquele dia. Ele veio atrás de mim:
-Ei! Onde você está indo?
-Vou dormir no quarto da Jel
-Vem tirar uma soneca no meu quarto então
-Não
-Porque?
-Olha Jake, se você ainda está comigo porque acha que vai ter sexo sinto muito, pode parar de perder seu tempo, você não vai ter mais que isso
-Eu sei! Não vou te obrigar a nada! Acho muito legal que você se respeite e te respeito também.
Fui dormir, no quarto da Jel.
Mai tarde, tudo normal, mas de noite as atividades iam ser diferentes. Poderíamos escolher entre ping-pong, piscina, fogueira e volley (acho). Eu disse pro Jake que iria pra piscina porque sabia que era o último lugar que ele iria, mas fui pra fogueira. Lá foi muito bom! O pessoal estava cantando e tocando violão em volta da fogueira e ficou todo mundo junto. Mais tarde assamos pão no fogo, tudo uma delícia. Depois Jake chegou. Eu já estava reclamando, achando que ele iria vir com as chatices de sempre, mas de alguma maneira ele estava diferente. Não veio com safadezas e não sei como, o beijo estava mais brasileiro e ele estava mais carinhoso. Ele sempre vinha com aquelas brincadeiras habituais e eu falei
-Você sempre está brincando né?
-Pode ser, mas não estou brincando quando digo que você é a menina mais incrível que já conheci.
Foi o sufiente para ficar com ele o resto da noite, na maior paciência.

Chega por hoje né? Obrigada do fundo do meu coração a todos que sempre estão por aqui!!

Todo mundo tá meio leza nessa foto mas tive que colocar a foto dos "casais" ahhahahaha pra quem ainda não adivinhou, esse é o Jake

Eu e Jel em Viborg

Jel, Brendan (Brannan?) e eu no boliche

Fogueira