147 metros de puro orgulho


Aff, vou começar esse post pela quarta vez, não estou brincando! É que toda vez que eu ligo o computador o msn bomba, depois conto.
Esse final de semana fui para uma viagem com meus avós comemorar o aniversário do meu host avô. Sim, o mesmo das oito horas de comilança, o mesmo do restaurante. Ou esse povo gosta de um aniversário ou já se passaram três anos e eu não percebi! Hahahahah
Fomos para uma cidade chamada Silkeborg, um pouco maior que Svendborg.
Ficamos em um Hotel e eu e Christina ficamos no mesmo qarto, o que foi muito bom porque descobri uma parceirona e descobri que ela não é tão paradinha quanto eu pensava hahahah
Na sexta só deu tempo de jantar, porque os jantares aqui demoram horrores. Coquetel de camarão de entrada, galinha com legumes de principal e sorvete de sobremesa, hmmm, porque engordo? E mais uma vez ficaram todos falando como eu como de tudo e blablá.
No sábado fomos para o centro fazer compras, eu na verdade só fui olhar porque quase chorei com o preço das coisas! Um lenço, um lencinho de pescoço, quase cem reais! Uma bota simplérrima mais de quinhentos reais, uma facada. Na boa, eu furo minha bota mas não pago esse preço (que aliás, já etá acontecendo).
Mais tarde fomos almoçar. Acho que dessa vez eles esqueceram que eu não entendo bulhufas de danês e me deram o cardápio pra escolher. A única coisa que entendi foi Sild, é o nome do peixe melequento. Pedi, era o mais garantido.
Me chegam três travessas, uma com peixe melequento normal, outro vermelho e outra com o molho amarelo. Caramba, não quero mais ver aquele raio de peixe nunca mais!! Pra minha agradável surpresa o vermelho tinha canela, ou algo bem parecido com, e eu normalmente como quatro pedaços de Sild com alface e pão. Bom, tinham DOZE pedaços, pouco pão e pouco alface, mas tinha que seguir a regra da família né? Nunca deixar comida no prato. Já estava arrotando peixe no final, eca.
Depois fomos para o momento tão esperado, a montanha mais alta da Dinamarca. Na boa, aquilo era um morrinho vagabundo, a subida do beco do Calvário da escolinha Serelepe exigia mais de mim do que a escalada da tal montanha. 147 metros galera, o ponto mais alto desse país. A graça é que eles ainda fizeram uma torre no topo pra parecer mais alto e tem que pagar 7,50 coroas pra entrar! Mas mesmo assim a vista era linda.
Mais tarde meu host pai chega com: “Luiza, comprei uma lembrança pra você!” Quando eu olho, adivinhem o que era? UMA BENGALA, sim uma bengala, com meu nome ainda! Não entendi a piada ou o carinho do presente, mas ia fazer melhor uso de um chaveiro e não ia ocupar tanto espaço.
Fizemos uns passeios e voltamos ao carro para tomar chá com chocolate, hmmm.
Eu brinco, mas esse episódio me fez perceber algo. A Dinamarca pode não ter uma grande montanha ou grandes belezas naturais, mas o respeito e o orgulho pelo o que eles têm é sem igual. Aquilo não passava de um morrinho, mas ainda assim estava cheio de turistas, super bem cuidado. Você não via um papel no chão, uma placa pixada, uma árvore cortada e o orgulho de ter algo tão belo no país tomava conta do lugar.
No Brasil temos coisas muito mais belas e grandiosas, mas mesmo assim depredamos, destruimos, tudo que há de belo sem nos importar. Falta orgulho pelo que temos, falta respeito, e isso os daneses tem me ensinado: a valorizar e respeitar as maravilhas do meu país.
Depois jantar. Mais comida boa, mais banha.
No domingo fomos a um museu de arte moderna, muitas coisas loucas, nem preciso dizer, mas eu gostei muito. Depois fomos a um museu de fotografia. Nossa, juro, minha vontade era de vomitar. Começou tudo beleza com umas fotos de coisas refletidas na água, mas depois veio uma placa "Strange Days" e aí vieram umas fotos que nem vou colocar aqui pro Blogger não fechar meu blog por divulgar pornografia. A primeira sala tinha um leitão morto todo aberto com algumas fotos estranhas de animais. A sala seguinte era uma mistura de fetiches idosos com "Jogos Mortais". A primeira foto era enorme, de um velho em um nú frontal cheio de agulhas pelo corpo, por TODO o corpo. As salas seguintes variavam entre fotos de velhos completamente nús em poses bizarras e partes do corpo não identificadas em pedaços. NOJO! Não consegui ficar muito tempo por lá, ew ew ew.
Despois do trauma almoçamos e voltamos para casa.
Chegando aqui começou a confusão. Aparentemente Jake havia me ligado o final de semana todo, mas meu celular estava com pouca bateria, então estava evitando deixar ligado. Chegando aqui entrei no msn e ele já veio jogando bomba. Tivemos um início de DR normal, mas logo veio o argentino e o colombiano falarem comigo. Esse argentino dês do Introcamp me liga sempre, me manda mensagem todo dia e fica de mi amor pra ca, mi vida pra lá, sos tan dulce acolá. Eu gosto dele, ele é fofinho, mas como amigo e só. Sei que ele é meio safado, e desse tipo passo longe, e argentino então :p O colombiano começou a me mascar de mais, até eu que sou lerda via que estava na cara. Falava que queria conhecer o jeito brasileiro, que só estava esperando Jake sair de perto para ele chegar, que achava minha boca linda e não via a hora de me ver de novo para “prova-la”, brega e nojento. Eu dei uma de idiota o tempo todo e não dei corda porque sempre me lasco. Mas me lasquei mesmo assim. Acho que o argentino e o colombiano estavam conversando e o Lucas(arg) ficou louco, falou que eu era muito doce com ele mas era com todos, que eles estava apaixonado por mim mas eu não, que eu iludia a todos. Pausa pra reflexão. Eu não falo espanhol, ele não fala inglês, como essa criatura se apaixona por mim???? Ok, ele ficou puto e me bloqueou. Depois o Sebastian (colomb) veio me perguntar se eu tinha algo com o Lucas. Ele disse que estava a fim de mim, mas se eu estivesse com o Lucas ele não poderia fazer nada, ficou puto e saiu. No meio dessa história Jake ficou em terceiro plano coitado e acho que ele meio que entendeu que não rolava mais com agente.
Eu fiquei muito chateada com essa história, eles me entenderam master mal, eu quero só amizade e eles não sei como se envolveram tanto. Achava que nunca mais ia trocar uma palavra se quer com cada um deles.
Hoje é aniversário do Jake, mandei uma mensagem, ele respondeu falando que me devia desculpas por ser um idiota. Sebastian veio conversar normalmente. Lucas se desculpou por ser tão ciumento xD

Museu doidinho 1

Topo do topo

Entrei no clima das esquesitisses

A vista

Comentários

Erica Ferro disse…
"No Brasil temos coisas muito mais belas e grandiosas, mas mesmo assim depredamos, destruimos, tudo que há de belo sem nos importar. Falta orgulho pelo que temos, falta respeito, e isso os daneses tem me ensinado: a valorizar e respeitar as maravilhas do meu país."

Concordo, Luiza. Deveríamos cuidar melhor do nosso patrimônio e nos orgulharmos mais dele.

•••

Ah, que post massa!
Adorei saber da sua viagem e de cada detalhe.
E, como sempre, ri muito da maneira que você escreveu e fiquei imaginando as cenas.

Cardápio em língua 'estranha'? Arrotando peixe? Hahaha!
Tu me mata de rir, menina.

Fotos pornográficas em um museu? Hahahaha!
Credo! =P
E, pior ainda, essas fotos de corpos desfigurados e estraçalhados. Aliás, não sei se é pior, mas eu ficaria mais chocada e traumatizada, hahaha!

E esses três apaixonados, hein? Hahaha!
Num digo que tu faz um sucesso desgraçado? HUASHASUHASUAS!
Ah, mas fica com o Jake. Simpatizei mais com ele, hahaha.

Ei, Luiza, sabe o que eu tava pensando? Que tal tu fazer um livro com todas essas tuas aventuras, hein?
Sério! Transforma esse teu ano na Dinamarca em um livro.
Eu compro, de certeza!

Beijo, menina ♥!
Adrienne disse…
Nossa não deu mais pra eu entrar no seu blog Lu, perdi tudo... Mas eu te prometo, q vou ficar em dia de novo, pq eu toh num ligar q num tenho muito acesso a internet, tah dífiícil viu, esse negoço de mudar mudar e mudar num tah dando certo comigo não viu!
beijo beijo

espero q aí esteja tudo bem com vc!


Ene, sua amiguinha da net
Maria. disse…
Tô ficando viciada no seu blog! :)
D disse…
como assim vc ganha uma bengala?rsrsrsr ja tem uma pra sua velice!
adoreiiii esse museu!
o q eh DR?
que loucura esses homens padova,its raining man!!
Misa B. disse…
"No Brasil temos coisas muito mais belas e grandiosas, mas mesmo assim depredamos, destruimos, tudo que há de belo sem nos importar. Falta orgulho pelo que temos, falta respeito, e isso os daneses tem me ensinado: a valorizar e respeitar as maravilhas do meu país."

Concordo, Luiza. Deveríamos cuidar melhor do nosso patrimônio e nos orgulharmos mais dele. +1

Caramba, eu teria a-ma-do o museu de fotografia. Sou apaixonada por fotografia e acho extremamente fascinante quando envolve anatômia dilacerada. Quero ver. ): UHASUHA!

Cara, eu não comeria esse peixei melequento nem morta... Odeio peixei. Eca. :(

E nossa, arranjou três chiclétinhos, hein?! r_s Espero que logo eles percebam que é só amizade e que esse é seu ano de curtição aí. (R) HAHAHA
Cada passo seu eu vou com uma luneta, observando e registrando. Ahhh, acho que vou me apaixonar, platônicamente, por você. Haja coração, rs.
noossa!!
e baixinho msm!
em minas em=ntao...
eles iam assustar!
kakopas
quero esse tanto de comemoracao aqui tbm!
confesso que esse post tava grande demais!
nao tive paciencia de ler 9 horas da noite depois de chegar do ballet..
mas depois leio a outra metade!
bjoo ke;!
Ana Villaça disse…
Luuu
essa tbm pe uma das coisas que mais me chamam atenção aqui, eles respeitam demais as coisas e setem MUITO orgulho do país deles. Se aqui que não tem as belezas que tem no Brasil, a alegria e criativiade do nosso povo eles já se orgulham tanto, imagina se fosse igual o brasil. Tá na hora do povo brasileiro perceber que nós fomos abençoados com um país maravilhoso e que temos que dar mais valor a isso.

Bom, adorei as fotos, quero conhecer esse lugar.

Menina, só rindo com seus casos, quanto chiclete menina auahauhauahua

beijoosssss