Três dias em Koh Tao, leste Tailandês

Nossa ida para Koh Tao, assim como todos os nossos trajetos por terra pela Tailândia, não foi nenhum Spa. Bangkok fica no centro do país enquanto Koh Tao é uma ilha ao leste da península tailandesa, o que além de grandes distâncias, implica em diversos meios de transporte. Fechamos um pacote que incluía trem, ônibus e ferry. O trem era o mesmo esquema que já contei aqui, mas pegamos sem ar condicionado, o que foi um ERRO. Saímos de Bangkok no fim da tarde e fomos orientadas a parar em uma cidade X no meio da madrugada. Meio tenso considerando que tudo que nos deram foi um nome bizarro e um horário estimado, por volta de 04:30 da manhã. Ficamos com medo de não conseguirmos acordar, errar a parada ou qualquer coisa do tipo, mas tem muita gente fazendo esse mesmo trajeto então foi bem tranquilo saber a hora de descer. Da estação de trem pegamos um ônibus até o porto, depois um ferry até a ilha e por fim um taxi até nosso hostel. Uma jornada épica, mas o preço foi até bem aceitável, por volta de 100 reais por todo o trajeto.

Trem de Luxo
Dia 1
Nossa programação do dia era apenas aproveitar a maravilhosa praia do lugar. Koh Tao é bem menos badalada que as outras ilhas no oeste, como Koh Phi Phi, Phuket e etc, mas ouso dizer que é bem mais bonita e agradável para passar o dia. Vimos muitos casais por lá e a atmosfera era muito calma e relaxada, perfeito para descansar.  Além disso é o melhor lugar para mergulho do país, e mesmo que você não anime fazer um dos vários mega cursos oferecidos no lugar, dá pra aproveitar diversos passeios maravilhosos nos corais com snorkel,

Nosso primeiro dia foi preguiçoso e delicioso. Passamos o dia inteiro deitadas nas várias almofadas do lugar (sim, muitas almofadas na praia), comendo frutas e nadando no mar maravilhoso, que mais parecia uma piscina de tão limpo e calmo.
A gente nem tava feliz, imagine
Para noite existem várias opções de bares e casas noturnas pela cidade, mas optamos pelos bares da praia, onde você pode assistir várias performances de malabares com fogo e conhecer gente de todos os cantos do mundo. Passamos a noite dançando kuduro, tentando passar de baixo da corda de fogo e nos divertindo com todo tipo de gente.

Dia 2
Para o segundo dia fechamos um passeio de barco de um dia inteiro pelos arredores da ilha, passeio simplesmente sensacional! Os funcionários eram maravilhosos, tínhamos muitas frutas e água o passeio todo, e passamos por lugares inacreditáveis.
O início do passeio foi de muito mergulho com snorkel e logo de cara percebemos porque ali era um dos melhores lugares para mergulho. A água cristalina, os peixes de todos os tipos e os corais impressionantes nos deixaram sem palavras. Fomos, inclusive, na Baía dos Tubarões, onde muitas pessoas conseguem nadar com tubarões, mas não tivemos essa sorte, só a Carol encontrou uma tartaruga linda por aí.
O almoço foi feito no barco que, além de delicioso, foi acompanhado de um Thai tocando violão e uma vista divina.
Almoço em alto mar
Indo atrás dos peixinhos



















O passeio termina na famosa Koh Nang Yuan, um conjunto de três ilhas unidas por uma faixa de areia de forma que você pode literalmente andar de uma até a outra. Por ser um local muito delicado, há diversas restrições e regras, tudo para proteger o maravilhoso lugar. Pagamos 10 reais para entrar e não se pode leval qualquer tipo de garrafa para ilha, lá você consegue comprar tudo em garrafas de vidro que devem ser devidamente descartadas. Nessa ilha fizemos uma pequena, porém muito bruta, caminhada até o mirante, onde dá pra ver a beleza das ilhas por completo.
E pra quem tem vontade de fazer esse passeio completo, pagamos o equivalente a 75 reais pelo passeio de barco com almoço e sem a entrada na ilha.
De noite assistimos um super show de Drag Queens e aproveitamos para fazer uma limpeza de pés com peixinhos, vocês sabem, nada muito anormal.

Trilha tranquila pra quem está de chinelo, só que NÃO


Caminhando entre as ilhas





































Mas a vista valeu a pena




Dia 3
Mais um dia de praia e descanso, sim, mais um. A esse ponto da viagem estávamos bem cansadas e a noite viria mais uma jornada épica até o outro lado da península tailandesa, descansar era preciso.
Tivemos que fazer o check out no hostel logo pela manhã, mas eles foram muito solícitos em guardar nossas mochilas enquanto curtíamos mais um dia de praia. Por coincidência uns canadenses que conhecemos em Chiang Mai tinham acabado de chegar na ilha e passamos parte do dia papeando e bebendo cervejas.
No fim da tarde voltamos ao hostel, pagamos nossas coisas e tomamos um banho na própria recepção. Uma van veio nos buscar para mais um trajeto com mil meios de transporte até Phi Phi.
Pegamos um night boat que eu sinceramente não entendi o trajeto que ele fez até hoje. Só sei que passamos a noite inteira dentro do barco indo para algum lugar que eu não tenho nem ideia de onde seja, mas que no mapa não parecia tão longe para durar tanto tempo. Depois do barco um ônibus nos levou até uma agência, de onde pegamos uma van para outra agência. Nessa outra agência rolou uma confusão e nos passaram a perna, tivemos que pagar 10 reais, alem dos 100 que já tínhamos pago pelo trajeto todo, para que nos levassem para o nosso destino final. Por fim, mais uma van e um ferry até a famosa ilha Koh Phi Phi.
O trajeto foi realmente confuso, mas nós não tínhamos pesquisado nada sobre o assunto antes, simplesmente fechamos o pacote que nos pareceu melhor, mas que no fim das contas saiu caro e MUITO demorado. Sugiro pesquisar bem esse trecho caso esteja pensando atravessar a península.
Quanto a Koh Phi Phi, é história pro próximo post.







Comentários

Postagens mais visitadas