Viena- Áustria

Viena não foi dos mais badalados, em Praga na noite de balada um menino voltou muito tarde pro hotel sozinho e bêbado e foi mandado pra casa. Ficamos no maior clima ruim depois disso, pro completar no dia que chegamos era feriado e estava tudo fechado e eu comecei a ficar doente, nada legal.
Chegamos na cidade e andamos pelas ruas silenciosas, nada aberto, só as construções charmosinhas e o bom tempo para nos animar. Depois fomos para o hotel. Muuuuito longe o hotel, nem se quiséssemos íamos sair, o jeito foi fazer nossa própria festinha nos quartos.

Bagunças no hotel


No dia seguinte saímos para conhecer a cidade de verdade. Eu estava doente e sem forças, durante o tempo todo que passamos dentro do ônibus eu dormi.
Mas vamos lá, Viena é conhecida por ser importante centro de música erudita, música clássica, também por ser cidade natal de Freud, pelas igrejas góticas e pelo castelo de Schönbrunn, um dos maiores e mais importantes do mundo.
A primeira parada foi no castelo, lugar ENORME! 1440 aposentos, quer mais? Lógico que não visitamos tudo, nem metade! Mas foi ótimo, o lugar é de uma riqueza sem igual e tudo é conservado exatamente como antes. Os jardins são maravilhosos e me emocionei por estar vendo tudo aquilo ao vivo!

Depois fomos a casa de Hundertwasser. São prédios super modernos construídos de maneira irregular (inclusive o interior) onde cerca de 150 pessoas vivem. O lugar é impressionante e a vizinhança também, o chão todo irregular, paredes de mosaico e diferentes árvores, foi uma das coisas que mais gostei de Viena.

Depois fizemos um tur com o ônibus, mas como eu disse, eu dormi o tempo todo.
Depois fomos ver uma igreja gótica e passear nas enormes ruas de Viena. Como em todo lugar turísco da Europa haviam muitos artistas de rua, mas em Viena naquele dia tinha muuuuuuitas estátuas vivas, choquei.

O Vitor e uma das estátuas


O rotary não dava muito dinheiro para comer, 5 euros por dia e acredite, isso não é nada. O que podíamos comer era um lanche do McDonald's, e o mais barato custava 5,50, mas naquele dia o povo estava destinado a comer algo local. Com o dinheiro que tínhamos só dava para comer coisa de rua, e lá fomos nós comer um cachorro com a dita "linguiça austríaca". Só tenho uma coisa a dizer: ECA. Era um pão murcho e uma linguiça enorme com um queijo/creme nojentão no meio, pingando gordura, e gente, eu juro que não sou nojenta, quem me acompanha sabe que eu como o peixe melequento, repolho roxo doce, linguiça feita de sangue de porco (muito boa por sinal), mas aquilo não dava, eu me sentia menos saudável a cada mordida. Arrependimento mor!
Mais tarde o mesmo de sempre no hotel, dessa vez com piscina.
O seguinte? Um sonho, rumo à Itália!!!

Comentários

Carol disse…
vou estar em Roma nos dias 23 e no dia 28, se vc estiver por la me avise,bjs
Ana Seerig disse…
Lindas fotos! Ahh, que inveja... =P