Curiosidades da Dinamarca 2

Mais algumas coisinhas para contar para vocês, mas já vou avisando que vai sair uma bagunça porque estou sem tempo pra mim, imagina pra esse blog né? Afinal, amanhã já volto pro Brasil!!! Então bora lá né:

Não é normal pedir uma pizza para duas pessoas, normalmente se pede uma pizza média para cada, na verdade é muito mais comum pedir uma grande para cada do que uma para dividir.

As motos daqui não andam nas mesmas ruas que os carros, andam na pista de bicicleta (tem ciclovias em todos os lugares aqui) e em velocidade reduzida. Bem mais seguro para todos né?


Falando em bicicleta, muita gente e eu disse MUITA MESMO, anda de bicicleta aqui, homens de terno, mulheres de salto alto, pais levando até 2 filhos num carrinho adicional, crianças indo pra escola, até pra boate! Na saída das boates normalmente tem um estacionamento de bikes e por volta de 5 da manhã você não vê carro nenhum na rua, mas um monte de gente pedalando. Eu ando muito de bicicleta na minha cidade porque não tem ônibus, mas em Copenhague eu andei só três vezes, mas foram TENSAS! A primeira vez eu achei que ia morrer porque é muita bicicleta e carro junto, você tem que seguir as regras de trânsito e não rola de andar devagar demais, como eu estava andando, cagando de medo. Mas o pior pra mim é que a bike daqui é muito diferente, o freio não é na mão, mas sim pedalando para trás, e elas são muito altas, de modo que não dá pra simplesmente colocar os pés no chão quando você está parado e dar aquele empurrãozinho maroto na hora de sair de novo, o esquema é outro, e como eu não entendi até hoje não consigo explicar, mas o que eles fazem é ficar de pé nos pedais pra sair e depois sentar, e na hora de parar eles ficam de pé nos pedais de novo e meio que dão um pulo pra frente...ah, sei lá, só sei que é difícil! A segunda vez que pedalei em Cope foi ás 5:30 da manhã, num frio sem fim e com 3 garrafas de vinho na cabeça e a terceira foi a pior, com as mesmas complicações da primeira, as mesmas da segunda e com o problema adicional de estar com um salto enorme voltando da boate, delícia ein!

A famosa pontualidade britânica devia se chamar dinamarquesa, porque aqui o bixo pega de verdade. Se você chega no ponto de ônibus e vê que ele deve passar às 16:47, ele vai passar às 16:47, e eles levam isso tão à sério que se você chegar meio minuto atrasado no ponto e bater na porta já fechada, eles simplesmente não abrem, tem hora contada para tudo. Uma bosta porque eu estou SEMPRE atrasada. Mesma coisa em festas, se a festa está marcada para às 14:00 TODOS os convidados chegarão juntos às 14:00, é inacreditável! Até a galera da minha idade tem dessa. Na festa de ano novo que fui ano passado com pessoas entre 19 e 23 anos, o jantar antes da festa estava marcado para às 20:00 e às 20:15 estávamos nos lugares (marcados, com nome) comendo. Dinamarca é um país de velhos cricris, mesmo jovens, se é que isso fez algum sentido.


Os dias anteriores ao natal são mais importantes e legais que o dia 24 em si, na minha humilde opinião. O natal tem início no dia 1 de dezembro, sendo que nesse dia eles já começam a te desejar feliz natal. Desde esse dia eles começam a comer as famosas, deliciosas e principalmente gordurosas comidas de natal, e olha que a lista de comidas tradicionais é enooooorme. Desde a carne, até o chá, da sobremesa aos biscoitinhos, tudo é completamente diferente do que se come nas outras épocas do ano. A coisa que eu mais curto é a contagem regressiva, e há várias maneiras de se fazer isso, quase todas as pessoas fazem todas. Tem o calendário na TV, uma história que é dividida em partes e contada do dia 1 ao dia 24 de dezembro, tem o calendário de papel também, para os adultos cada dia uma raspadinha da loteria, para as crianças, cada um dia um doce, com um upgrade nos finais de semanas em ambos os casos. Outra maneira de contar os dias é queimar uma vela enumerada de 1 a 24, você deve queimar um número por dia. Pra mim essa é a mais trabalhosa, já quase botei fogo na casa dua vezes porque queria queimar de uma vez uns 3 dias que esqueci. A outra tradição, pra mim, é a mais legal: você ganha 24 PRESENTES, sim, um por dia! Olha que coisa linda! Claro que não são super presentes, são lembrancinhas, mas é super bacana. O dia 24 mesmo é uma reunião de todas as tradições anteriores, mas com muito mais presentes, muito mais comida e dança de mãos dadas em volta da árvore de verdade com velas de verdade. Aqui eu contei tudo há alguns aninhos atrás, da época que eu não gostava de vinho: http://luizapadovezi.blogspot.com.br/2009/12/natal-na-dinamarca_01.html

Aniversário é outra coisa cheia de tradições. O aniversariante é acordado com bandeiras e cantoria. O "parabéns pra você" deles é enoooorme, dá até raiva de ter que ficar lá em pé, olhando para a cara de todo mundo enquanto eles cantam aquela coisa gigantesca, e eles ainda falam um HURRA HURRA HURRA no meio que é de assustar qualquer um. Quando se faz aniversário há bandeiras por todos os lados, no mastro da sua casa (sim, cada casa tem um mastro para estiar bandeira em dias especiais), na mesa do restaurante que você vai comer, no trabalho, na escola...e como não pode faltar, também tem um bolo tradicional e você tem levar bolo para todas as pessoas da sua escola/trabalho no dia do seu aniversário e distribuir.
Meu aniversário de 2010 com os meus bolos na minha saudosa escola

Uma das coisa que percebi só dessa terceira vez aqui foi como eles conseguem ficar calados com outras pessoas por perto. Eles podem passar um tempão ao lado de uma pessoa que conhecem sem falar nada de nada por um bom tempo. Comecei a reparar isso nos almoços da empresa. Na minha mesa sempre sentam umas 6 pessoas e muitas vezes eles ficam completamente calados e eu achei a coisa mais biazarra, porque no Brasil a gente não para de falar com gente conhecida por perto assim. Mas tudo bem, tentei relevar porque eles estavam sempre comendo, até que uma noite minha host family inteira foi para nossa casa jantar, 12 pessoas, e eles agiam do mesmo jeito, com longas pausas sem ninguém falar nada, inclusive quando não estava comendo! Vocês tem noção do que são 12 pessoas, da mesma família, em uma mesma mesa, sentadas, caladas, sem fazer nada? Na minha família podemos estar em 3 pessoas que lutamos pra falar, minha mãe fala até sozinha se precisar. Achei estranhíssimo, e mesmo falando dinamarquês super mal e sendo super tímida, eu fui a que mais falei a noite toda, porque aquele silêncio me incomodava. Pra mim o pior dessa história toda é que eles ficaram umas 5 horas lá, sentados na mesa, parecia que eles estavam gostando disso, vai entender.

Então, essas são mais algumas coisas soltas que me chamam atenção nesse país, tudo mal escrito, tudo mal arrumado, mas são meus últimos momentos aqui, então tem que ser tudo corrido mesmo.


Comentários

Camila Heloíse disse…
Oi Luiza, como vai?

Encontrei um comentário seu num blog cujo texto "Meu amor no potinho" você gostou e pediu se poderia usar uns trechos dele com os devidos créditos, rs. Achei generoso da sua parte e por isso digo, pode usar sim, mas, devo lhe dizer que aquele texto é de minha autoria, e foi publicado em meu blog aqui: http://asombradomar.com.br/2013/01/meu-amor-no-potinho/
Foi replicado naquele blog sem autoria e sem os créditos. Você tem licença para usá-lo sim :)
Aproveito para convidá-la a visitar meu blog =)

Um beijo!!!
Renata disse…
Oi Luiza!
Estou morando em Paris e ficarei aqui por mais 3 meses e meio. Achei seu blog no google sem querer enquanto pesquisava blogs sobre intercâmbio. Parabéns pelos textos, suas experiências são bastante divertidas hehe.
Um beijo